Bandeira da África do Sul
Reprodução
Bandeira da África do Sul

A onda de  protestos violentos que assola a África do Sul há dias já provocou 276 mortes. A polícia investiga 168 casos de assassinatos e abriu 108 processos de inquérito para investigar as manifestações e saques que ocorreram após a prisão do ex-presidente Jacob Zuma. As províncias com maior quantidade de casos são Gauteng e KwaZulu-Natal.

A primeira-ministra em exercício na Presidência, Khumbudzo Ntshavheni, revelou nesta quarta-feira, 21, que um total de 234 mortes foram relatadas em KwaZulu-Natal e outras 42 em Gauteng. 15 prisões relacionadas aos assassinatos já foram executadas. Em Gauteng especificamente, a polícia está investigando 17 casos de assassinato e abriu 25 processos de inquérito, mas nenhuma prisão foi feita até o momento. 

”A estabilidade continua a reinar em Gauteng e KwaZulu-Natal. Os agentes da lei estão conduzindo operações para garantir que atividades oportunistas e imitadoras não encontrem tração”, disse Khumbudzo.

E completou: “Além da prisão de pessoas ligadas à violência pública e suas aparições em vários tribunais, os agentes da lei continuam a prender pessoas ligadas à incitação à violência pública".

A primeira-ministra disse ainda que, até o momento, quatro suspeitos foram presos e compareceram ao tribunal, incluindo Bruce Nimmerhoudt, um candidato a prefeito da Aliança Patriótica no Município do Distrito de West Rand.

Você viu?

O Departamento de Educação Básica está planejando reabrir escolas, apesar de 143 terem sido vandalizadas e saqueadas durante as manifestações. Segundo Khumbudzo 139 dessas escolas estão em KwaZulu-Natal, enquanto outras quatro estão em Gauteng. Equipamentos e alimentos destinados ao programa de nutrição escolar foram roubados.

“Essas escolas não poderão fornecer o programa de nutrição escolar para alunos vulneráveis”, acrescentou ela.

A Ministra da Educação Básica, Angie Motshekga, informará a nação sobre os preparativos para a reabertura das escolas no domingo.

O Departamento de Saúde está finalizando o relatório de avaliação sobre a extensão do impacto da violência recente em Gauteng e KwaZulu-Natal no programa de vacinação e acesso geral aos serviços de saúde. O ministro da Saúde em exercício deverá apresentar uma atualização abrangente na próxima sexta-feira, 23.

- Com informações do portal IOL News.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários