Urna eletrônica
REPRODUÇÃO/AGÊNCIA BRASIL
Urna eletrônica

Uma proposta que será lançada na Câmara dos deputados pode gerar uma reforma eleitoral no país. De relatoria da deputada Renata Abreu , presidente do Podemos, ele lança a ideia de um “ voto preferencial ” já em 2022 que poderia evitar um segundo turno polarizado entre Lula e Bolsonaro . As informações são da coluna Radar da revista Veja. 

A relatora tenta angariar apoio entre os partidos que tentam viabilizar um nome para encarar a terceira vida nas eleições do ano que vem. O sistema, que já é utilizado em outros países, faria com que os eleitores elencassem os seus candidatos favoritos, do melhor para o pior.

Se um deles aparecer em 1º lugar no ranking em mais de 50% dos votos, estará eleito, como já ocorre hoje. Caso isso não aconteça, as segundas escolhas de quem optou pelo menos votado seriam consideradas, e assim por diante.

O sistema elimina a ideia de "voto útil" , que favorece a polarização e foi utilizado pela primeira vez na cidade de Nova York nas eleições municipais realizadas no mês passado, batizado em inglês de “ranked-choice voting” (votação por escolha ranqueada). 

O grupo, que tem representante de sete partidos se reuniu pela primeira vez no dia 16 de junho e se reunirá novamente na próxima quarta-feira (7). 


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários