Presidente Jair Bolsonaro (sem partido)
Reprodução
Presidente Jair Bolsonaro (sem partido)

Em meio às denúncias e investigações sobre possíveis irregularidades, o governo avalia cancelar o contrato das 20 milhões de doses da vacina indiana Covaxin , produzida pela Bharat Biotech e representada no Brasil pela Precisa Medicamentos. As informações são da Folha de S. Paulo .

Segundo o jornal, o cancelamento do contrato já começou a ser discutido em diferentes setores do Ministério da Saúde e chegou ao conhecimento da Casa Civil. ​

Uma das opções é anular o acordo devido ao atraso na entrega das unidades contratadas e também da falta de previsão da chegada do imunizante ao Brasil. E a outra alternativa, é que não haja assinatura do termo de compromisso exigido pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) com condições para importação de parte das doses. As hipóteses são discutidas com a consultoria jurídica, com o departamento de integridade e área técnica da Saúde.

Nesta quarta-feira (23), uma reunião foi realizada para debater o tema, porém ainda não há uma decisão.

As denúncias foram feitas pelo servidor do Ministério da Saúde Luis Ricardo Miranda, e seu irmão, o deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) , que relatam diversas informações divergentes do contrato fechado com a empresa Precisa Medicamentos , na última sexta-feira (18).

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários