Senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP)
Jefferson Rudy/Agência Senado
Senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP)

Na tarde desta quarta-feira (9), durante o depoimento do ex-secretário da Saúde Élcio Franco à CPI da Covid , o vice-presidente da Comissão, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), contou 81 correspondências da farmacêutica  Pfizer  com ofertas de vacinas ao governo federal e disse que a maioria não teve resposta.


"Ao que me parece, pelos documentos que temos aqui, 90% dessas ficaram sem resposta", disse o senador. Franco, porém, defendeu que algumas das cartas eram repetidas. "Algumas delas já eram respostas às demandas nossas, só para citar para o senhor. Outras, eram e-mails que eles mandavam repetidamente para o Ministério com o mesmo conteúdo que eles mandaram quatro, cinco vezes".

Assista à sequência:



Você viu?




Em uma das mensagens lidas pelo senador durante a oitiva, a Pfizer perguntava se a pasta já havia tomado a decisão "de não avançar com assinatura do documento", já que, se esse fosse o caso, eles gostariam de ser avisados para poder disponibilizar as doses  a outros países.

Na última semana, o senador disse que a Pfizer enviou 53 e-mails ao Ministério da Saúde, sendo que todos foram ignorados . Porém, em nova investigação da Comissão, a cúpula teve acesso a novos documentos, que, segundo Randolfe, provam 81 tentativas de contato com a pasta.

"Não restam dúvidas da omissão do Governo na aquisição de vacinas para o Brasil!", escreveu Randolfe nas redes sociais.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários