Luis Carlos Heinze (PP-RS) foi um dos senadores que pediu abertura da investigação
Jefferson Rudy/Agência Senado
Luis Carlos Heinze (PP-RS) foi um dos senadores que pediu abertura da investigação

A Polícia do Senado Federal abriu investigação conta Celso Rocha de Barros, colunista da Folha de S.Paulo, por conta de um artigo publicado no dia 9 de maio, chamado “Consultório do Crime’ tenta salvar Bolsonaro na CPI da Covid ”.

Segundo informações confirmadas, o pedido de investigação partiu dos senadores Eduardo Girão (Podemos-CE) e Luiz Carlos Heinze (PP-RS), membros do CPI da Covid, que se disseram vitimas de calúnia e injúria.

“Falando em Queiroz, se no Rio de Janeiro Bolsonaro era amigo do chefe da milícia “Escritório do Crime”, na CPI é defendido pelo que podemos chamar de “Consultório do Crime”, um grupo de senadores que buscam tumultuar a investigação mentindo sobre medicina. Seus principais representantes são Eduardo Girão (Podemos-CE) e Luiz Carlos Heinze (PP-RS)”, diz trecho do artigo de opinião do sociólogo.

Ainda segundo a Folha, Celso informou a Polícia do Senado que não irá participar de videoconferência requisitada pelos investigadores do caso.

Heinze e Girão, membros da Comissão, são pró-governo , e em diversas falas na Sessão elogiaram a condução do presidente Jair Bolsonaro durante a pandemia e defenderam o uso de medicamentos sem eficácia comprovada no tratamento contra a Covid-19 .


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários