Mourãp
Pozzebom/Agência Brasil
Vice-presidente Hamilton Mourão


O vice-presidente da República, Hamilto Mourão (PRTB), voltou nesta segunda-feira (11) do período de isolamento em quarentena , por conta do teste positivo para Covid-19, e já na primeira entrevista adotou um  discurso diferente do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao defender que as eleições nos Estados Unidos foram "corretas" e reprovar o caso de invasão ao Capitólio norte-americano.

“É uma questão interna dos Estados Unidos da América. É óbvio que foi uma manifestação violenta . Poderiam ter se manifestado contra o processo eleitoral americano de forma pacífica”, declarou em entrevista à Rádio Gaúcha ao comentar a invasão ao Capitólio dos Estados Unidos por extremistas e apoiadores do presidente Donald Trump.

Mourão disse que não acredita na possibilidade do atentado à democracia dos Estados Unidos acontecer no Brasil , como forma de contestar o resultado das eleições em caso de eventual derrota do presidente Jair Bolsonaro em 2022. Bolsonaro já afirmou mais de uma vez, sem apresentar provas , que as eleições de 2018 foram fraudadas - mesmo com ele saindo vencedor -, pois a vitória teria ocorrido ainda em primeiro turno. O presidente disse ter provas e meios que em breve iria provar a suposta fraude, mas até agora não apresentou.


“Acho que não [deve acontecer o que aconteceu nos EUA] . Uma vez ocorrido o processo eleitoral [no Brasil], quem vencer terá o reconhecimento. Agora um outro aspecto é a questão do voto impresso. Se discute muito a auditoria desse nosso voto eletrônico”, afirmou. Mourão defendeu o voto impresso , mas não endoçou as falas de Bolsonaro sobre a necessidade de implantar o sistema como a única forma de evitar fraudes eleitorais e evitar ataques como os ocorridos nos Estados Unidos.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários