flávio
Beto Barata / Agência Senado
Flávio Bolsonaro também está atento aos assuntos de Brasília


Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) apresentou uma denúncia contra o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos) e no documento afirmou que o filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) enriqueceu de forma " sorrateira ", por meio do desvio de verbas da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).


O documento assinado pelo procurador Ricardo Martins, obtido pela TV Globo, diz que Flávio  "fazia pouquíssimo uso de serviços bancários como cartões de crédito e débito" preferindo dinheiro vivo. As análises do MP geram suspeitas sobre o uso dos cartões de créditos pelo senador, que teria gasto apenas R$ 195 por mês entre 2007 e 2009.

No entano, neste mesmo período, Flávio e os acusados de envolvimento no esquema realizaram uma série de transações sem origem comprovada ."Os extratos bancários do ex-deputado não registraram nenhum débito que fosse compatível com as datas e valores dos recebimentos informados pelas imobiliárias", dizem os procuradores do caso.

Flávio Bolsonaro se defende das acusações dizendo que se trata de "crônica macabra".

    Veja Também

      Mostrar mais