Ex-assessora de Flávio diz que foi chamada por Wassef em dia de depoimento ao MP
Marcos Oliveira/Agência Senado
Ex-assessora de Flávio diz que foi chamada por Wassef em dia de depoimento ao MP

Entre as revelações que Luiza Sousa Paes, ex-assessora do antigo gabinete de  Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), fez em seu depoimento ao Ministério Público do Rio (MP-RJ), está um encontro com Frederick Wassef, ex-advogado do senador, em um hotel na Barra da Tijuca, em dezembro de 2018.

A reunião ocorreu no mesmo dia em que ela tinha sido chamada para prestar esclarecimentos na investigação. Segundo Luiza, ela foi orientada a não atender a convocação dos promotores.

Como o GLOBO revelou na quarta-feira, a ex-assessora admitiu que nunca atuou como funcionária do filho do presidente Jair Bolsonaro e que era obrigada a devolver mais de 90% do salário.

Além disso, Luiza apresentou extratos bancários para comprovar que, entre 2011 e 2017, entregou, por meio de depósitos e transferências, cerca de R$ 160 mil para Fabrício Queiroz, ex-chefe da segurança de Flávio que é apontado como operador do esquema de desvios de salários. É a primeira vez que um ex-assessor admite o esquema ilegal no gabinete do parlamentar.

Segundo depoimento, a reunião de Luiza com Wassef oconteceu no dia 20 de dezembro de 2018 em um hotel na Barra da Tijuca, no mesmo dia do depoimento ao Ministério Público.

Você viu?

No encontro, Wassef não se apresentou como advogado de Flávio. Afirmou apenas que era "poderoso", mas estava fazendo a defesa de graça porque considerava que aquilo tudo era uma "covardia". Também foi dito pelos advogados que não era para ela prestar depoimento porque nenhum assessor iria fazê-lo.

Naquela época, Luiza, Queiroz e o pai da ex-assessora também passaram a combinar uma versão para um eventual depoimento no MP. Queiroz tinha pedido a ela que contasse aos promotores uma história parecida com o que foi relatada pelo subtenente Agostinho Moraes, outro assessor.

Luiza Sousa Paes foi nomeada como assessora do gabinete de Flávio em 12 de agosto de 2011 e lá ficou até 11 de abril de 2012. Depois, foi nomeada para a TV Alerj e no Departamento de Planos e Orçamento.

Durante todo esse período, ela disse que teve que devolver a maior parte do salário que recebia - cerca de 90%. O primeiro  salário dela no período em que trabalhou no gabinete de Flávio tinha um valor bruto de R$ 4.966,45. Já o último, na TV Alerj, de R$ 5.264,44.

Todos os meses, Luiza tinha que sacar o salário e devolver a maior parte para Queiroz. Ela ficava com apenas R$ 700,00.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários