sabará
Reprodução/Facebook
Justiça eleitoral indefere candidatura de Filipe Sabará à Prefeitura de SP

O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) indeferiu, na noite deste domingo (25), a candidatura de  Filipe Sabará, do Partido Novo, à Prefeitura de São Paulo. A decisão aconteceu após sua candidata à vice,  Marina Helena, desistir de concorrer e o partido não indicar substituto.

A decisão de tornar inválida a candidatura atende ao pedido do própio partido, que pleiteava a exclusão da candidatura de Sabará amparado pela legislação eleitoral que trata as chapas como "indivisíveis".

Portanto, de acordo com a lei, não havendo substituição de membro que deixou a disputa, a chapa deve ser excluída da disputa. A decisão do TRE-SP ainda cabe recurso.

Sabará
Reprodução TSE
Sabará


Desistência da vice 

A candidata a vice na chapa, Marina Helena,  anunciou no sábado (24) que desistiu da candidatura. Além disso, Sabará tinha sido expulso do Novo na última quarta-feira (21), mas afirmou que continuaria na disputa.

A situação delicada entre Sabará e o próprio partido foram um dos motivos para que sua cadidata a vice desistisse de concorrer. 

"Eu me dediquei de corpo e alma nos últimos oito meses a estudar São Paulo e encontrar soluções reais para a cidade. "Infelizmente, dado os últimos acontecimentos, eu não vejo mais ser possível implementar essa agenda e por isso eu renuncio à minha candidatura à vice-prefeitura", disse Marina em vídeo publicado no Instagram.

E completou: "Eu queria deixar um agradecimento muito especial ao Felipe Sabará e ao partido Novo. Eu sei que nesses últimos tempos existem diferenças entre eles, mas sei que eles compartilham o mesmo propósito que me trouxe à política, que é transformar a vida das pessoas através de valores liberais e do combate à corrupção".

Reação

Pelo twitter, o candidato se posicionou sobre o assunto a afirmou que foi expulso do partido por não pensar como um dos fundadores da sigla, João Amôedo.

"Fui expulso do Partido “novo”, por não aceitar ser obrigado a pensar como um dos fundadores, João Amoedo, que ataca o Presidente Bolsonaro o tempo todo (no Twitter) e defendi as boas ações do Gov. Federal, sempre que entendi que deveria".




    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários