homem de terno e gravata
TV Brasil/Reprodução
Jair Bolsonaro fez discurso em assembleia da ONU na manhã desta terça-feira

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que o Brasil é vítima da "desinformação" sobre incêndios no Pantanal e na Amazônia. A declaração foi dada na manhã desta terça-feira (22)  durante fala na 75ª edição da Assembleia Geral da ONU , realizada pela primeira vez de forma virtual.

No discurso, o presidente afirmou que órgãos com interessses escusos se unem a organizações brasileiras "aproveitadoras e impatrióticas" para transmitir a suposta desinformação. "Somos vítimas de uma das mais brutais campanhas de desinformação sobre a Amazônia e o Pantanal", garantiu.

"Nossa floresta é úmida e não permite a propagação de fogo no seu interior. Os incêndios ocorrem onde o caboclo e o índio queimam seus roçados em busca de sobrevivência, em áreas já desmatadas”, afirmou o presidente. Ele comparou, ainda, as queimadas do Brasil com a dos Estados Unidos e afirmou que o fogo faz parte de “consequências inevitáveis”.

Bolsonaro falou, ainda, que os focos de incêndio criminosos serão combatidos com rigor pelo governo. O discurso veiculado pelo presidente foi gravado antecipadamente.

Em conversa com jornalistas na segunda-feira (21), o vice-presidente Hamilton Mourão adiantou que Bolsonaro deveria falar sobre a Amazônia e os "esforços para combater as ilegalidades".

Ainda nesta terça, líderes mundiais como Vladimir Putin e Donald Trump devem falar na assembleia.

Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o calendário oficial de monitoramento da Amazônia, que calcula taxas anuais de desmatamento na região, mostrou que a taxa de desmatamento na região registrou alta nos dois primeiros anos de gestão de Bolsonaro e teve aumento de 34% entre agosto de 2019 e julho de 2020 quando comparado ao ano anterior.


    Veja Também

      Mostrar mais