Eduardo Paes
Agência Brasil
Anúncio será feito na segunda-feira (14).

O PSDB abriu da mão de candidatura própria à Prefeitura do Rio e decidiu apoiar Eduardo Paes , do DEM. O anúncio será formalizado na segunda-feira (14), no Rio, na convenção tucana. Presidente do PSDB-RJ, Paulo Marinho era o pré-candidato da legenda, mas desistiu de ser cabeça de chapa para que o partido integre a coligação de Paes. A aliança passou por conversas envolvendo o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e o presidente nacional tucano, o deputado federal Bruno Araújo (PE). Ontem, Paes anunciou Nilton Caldeira, do PL, como vice em sua chapa.

"Quando assumi a presidência do PSDB-RJ, um ano atrás, mencionei que na eleição de 2016 o grupo político de centro no Rio se dividiu, com candidaturas do Pedro Paulo (DEM), do Carlos Osorio (PSDB) e do Indio da Costa (PSD). Com isso, acabamos elegendo (o prefeito) Marcelo Crivella (Republicanos). Não podemos mais correr esse risco. Não se trata de questão ideológica ou partidária. A questão agora é salvar o Rio de Janeiro. Por isso entramos na coligação do Eduardo Paes", disse Marinho.

Indagado sobre se a aliança no Rio abrange também uma costura para o pleito presidencial de 2022, Marinho afimou:

"O que está em jogo neste momento é a eleição de 2020, o que move o PSDB nessa questão é a salvação do Rio. Esse processo da sucessão presidencial de 2022 se dará naturalmente depois da eleição de novembro. O DEM já é um parceiro natural do PSDB, assimo como acontece também em São Paulo".

Sobre o fato de Paes ter virado, nesta terça-feira (8), réu em ação, acusado de corrupção, Marinho disse confiar "plenamente" no ex-prefeito e avalia que a recente operação promovida pelo Ministério Público do Rio não o prejudicará na corrida eleitoral.

"Confio 100% na inocência do Eduardo Paes. O tempo vai provar que ele é inocente. Confio na honestidade do candidato Eduardo Paes".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários