praia
Foto: Tânia Rêgo/ABr
Em uma reunião do comitê científico do município, na manhã desta terça-feira, médicos discutiram a possibilidade de restringir o estacionamento na orla

RIO — Após um feriadão com praias lotadas e aglomerações em pontos turísticos, a Prefeitura do Rio estuda medidas para evitar o desrespeito às regras do plano de flexibilização. Em uma reunião do comitê científico do município, na manhã desta terça-feira, médicos discutiram a possibilidade de restringir o estacionamento na orla e reduzir o horário de funcionamento de bares.

O prefeito Marcelo Crivella, no entanto, ainda não bateu o martelo sobre as medidas, que serão apresentadas ao governador interino, Claudio Castro, antes de serem anunciadas oficialmente.

De acordo com o médico Sylvio Provenzano, que é chefe do serviço de clínica médica do Hospital Federal dos Servidores e membro do comitê, a intenção de Crivella é unir forças com o governo do estado para evitar a repetição de cenas como as que foram flagradas no feriadão da Independência.

— Discutimos muito sobre os problemas amplamente noticiados de aglomerações nas praias e nos próprios bares. Enfatizamos a nossa preocupação em relação a isso e o prefeito concordou com a importância de a gente conscientizar a população. Algumas medidas foram pensadas e ele disse que iria conversar com o governador no sentido de tentar chegar a um acordo com una as forças para tentar conter esses absurdos que todos viram e, obviamente, ninguém concorda. Estamos com um número de casos menor de Covid-19, mas a doença não foi embora — afirma.

Segundo Provenzano, durante a reunião foi avaliada a possibilidade de punir os bares que não cumpriram as regras estabelecidas pela prefeitura.

— Está sendo estudado a redução do horário de funcionamento de alguns bares, principalmente os que demonstraram maior aglomeração. Também foi sugerido impedir o estacionamento duplo na orla marítima — diz.

Teatros e cinemas

O comitê não discutiu apenas medidas restritivas na reunião desta terça-feira. Também foram apresentadas propostas para reabertura de teatros e cinemas, além do Maracanã, com restrição de público para todos os casos.

De acordo com o médico Flávio Sá Ribeiro, professor da Uerj e membro do comitê, a autorização dessas atividades vai marcar o início da fase 6B da reabertura, a última etapa do plano de flexibilização antes do chamado período conservador, durante o qual a população ainda deverá respeitar algumas medidas sanitárias.

— No caso do teatro e do cinema é muito mais fácil resolver a questão da aglomeração, porque é possível disciplinar isso com mais tranquilidade. Desenvolveram um programa que permite que isso seja feito já no momento da reserva do assento. O próprio programa distribui as pessoas pelo cinema, sem risco de aglomeração — explica Ribeiro.

    Veja Também

      Mostrar mais