Procurador da força-tarefa da Lava Jato%2C Deltan Dallagnol
Fernando Frazão / Agência Brasil
Procurador da força-tarefa da Lava Jato, Deltan Dallagnol

O ministro Celso de Mello , do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu na noite desta segunda-feira (17) dois processos que pediam o afastamento do procurador Deltan Dallagnol da coordenação da força-tarefa da Lava Jato no Paraná. Os julgamentos finais contra o magistrado seriam realizados nesta terça no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).

Uma das ações foi apresentada pelo senador Renan Calheiros (MDB-AL), que alegou que Dallagnol fez campanha na internet para atacá-lo e influenciou as eleições para presidente do Senado.

O outro processo questionado pela defesa de Dallagnol é um pedido de remoção apresentado pela senadora Kátia Abreu (PP-TO). Nesse pedido, a parlamentar afirma que o procurador foi alvo de 16 reclamações disciplinares no conselho, firmou o acordo com a Petrobras para que R$ 2,5 bilhões recuperados fossem direcionados para fundação da Lava Jato e ainda deu palestras remuneradas.

A decisão de decano da Corte atende a um pedido da defesa de Deltan Dallagnol, que afirmou ao STF que há irregularidades no andamento dos processos no Conselho. Segundo os advogados, o princípío do amplo direito à defesa não teria sido respeitado.

Por isso, eles pediram que o CNMP fique impedido de analisar os dois recursos até que o STF emita decisão final sobre o pedido de trancamento das ações.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários