Wassef nega o apelido de anjo
Reprodução/TV Globo
Wassef nega o apelido de anjo

O Ministério Público do Rio, responsável pela investigação sobre o esquema de rachadinha que envolvem Flávio Bolsonaro, teve acesso a um áudio da esposa de Fabrício Queiroz , ex-assessor preso de Flávio, em que ela associa o ex-advogado da família Bolsonaro, Frederick Wassef ao apelido "Anjo" , segundo divulgou nesta quarta-feira (15) o jornal O Globo.

Após Wassef ter negado o apelido, que deu nome a operação que prendeu Queiroz, no novo áudio a esposa de Queiroz, Marcia Aguiar, ela cita o advogado e "Anjo" na mesma frase.

O áudio foi gravado em 1º de novembro de 2019 às 13:55 e enviado ao advogado Luiz Gustavo Botto Maia, que teve Flávio como cliente e está envolvido com a ocultação de Queiroz, segundo o jornal.

Na gravação, a esposa de Queiroz afirma que: "Ele [Queiroz] e Felipe foram levar a Ana [Flávia Rigamonti, advogada que trabalhava com Wassef] em São Paulo porque o Anjo queria falar com ela. Aí ele disse que deixou a Ana lá na casa do Fred [Wassef] e quando estava indo embora, falou: 'Felipe, vamo para o Rio? Vieram para o Rio sem mochila, sem nada. E chegou hoje de manhã aqui, mas pediu para não falar com ninguém não que ele tá aqui", segundo divulgou o jornal.

O Ministério Público já havia encontrado outras três referências ao apelido "Anjo", mas sem associação direta ao nome do advogado.

Wassef continua a negar o apelido . Ele afirmou, em nota enviada ao jornal, que "nunca tive apelido de anjo e nunca fui chamado assim por ninguém. Após 2 anos e meio de investigação sem obter nada, pescam supostas mensagens de cel fora de contexto e tentam criar fantasias sobre as mesmas". 

"Conforme inúmeras reportagens mostraram, após a prisão de Queiroz, apareceram vários outros personagens que deram entrevistas e afirmaram que estavam com ele direto e o ajudavam e cuidavam dele. Estas pessoas se encaixam com perfeição no papel de anjo", alega Wassef .


    Veja Também

      Mostrar mais