queiroz
Polícia Civil / Rede Globo / Reprodução
Queiroz não resistiu à prisão na casa de Wassef em Atibaia

Mensagens encontradas nos celulares apreendidos da família de Fabrício Queiroz , ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro , revelam que ele e seu filho também usaram um apartamento em São Paulo da empresária Maria Cristina Boner , ex-mulher do advogado Frederick Wassef .

Até agora, os investigadores só haviam descoberto dois endereços de Wassef utilizados como refúgio do ex-assessor de Flávio durante o ano passado - o sítio, em Atibaia , onde Queiroz foi preso, e apartamentos no Guarujá .

Obtidas pelo GLOBO, as mensagens que comprovam a localização começaram a ser trocadas na madrugada de 24 de novembro do ano passado. No dia, às 00h15, Queiroz escreveu para Márcia Oliveira de Aguiar , sua esposa, via Whatsapp, que estava indo "para a casa do Anjo (codinome que as investigações apontam como sendo de Wassef) e enviou uma foto do filho sentado em um sofá branco com uma ampla sala ao fundo.

Naquele mesmo dia, horas depois, o filho de Queiroz tirou uma série de cinco fotos de si próprio na mesma sala da foto enviada por Queiroz para Márcia . Foi justamente esse movimento que indicou o endereço das fotos.

Em junho, o portal Uol mostrou que o governo de Jair Bolsonaro fechou, desde o ano passado, novos contratos em um total de R$ 53 milhões com a Globalweb Outsourcing, fundada por Maria Cristina Boner Leo . Procurada, Cristina Boner disse que “mora em Brasília, não estava em São Paulo nesta data, desconhece estes fatos e só vai se manifestar após ter acesso aos autos do procedimento por meio de seu advogado”.

O advogado Frederick Wassef disse ao GLOBO que não mora no local e negou ter abrigado "Queiroz ou qualquer pessoa de sua família em qualquer propriedade minha ou de conhecidos meus na cidade de São Paulo”.



    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários