Celso de Mello
Agência Brasil
Celso de Mello classificou o conteúdo da nota como "Inconcebível" e "inacreditável".

O ministro Celso de Mello , do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu arquivar a notícia crime contra o general Augusto Heleno , ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI). A decisão foi anunciada na manhã desta quarta-feira (8).

A notícia-crime foi apresentada por parlamentares em maio após o ministro divulgar uma nota em seu perfil no Twitter contestando o pedido de apreensão do celular do presidente Jair Bolsonaro e de seu filho, Carlos Bolsonaro. Na ocasião, Heleno disse que o ato poderia ter "consequências imprevísiveis para a estabilidade nacional".

Segundo Celso de Mello, o conteúdo da nota divulgada por Heleno era "inconcebível" e "inacreditável". 

“Tal surpreendente declaração, intitulada 'Nota à Nação Brasileira', de conteúdo inacreditável e inconcebível, amplamente divulgada pelos meios de comunicação, faz recordar lamentável episódio histórico ocorrido em nosso País nos pródromos da República”, afirmou o decano.

O ministro disse ainda que o procurador-geral da República, Augusto Aras, instaurou a notícia no âmbito da PGR para analisar o caso e tomar eventuais medidas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários