Nelson Teich em entrevista coletiva na qual anunciou sua demissão
Erasmo Salomão/MS
Teich pediu exoneração menos de um mês após ter assumido o comando da pasta da Saúde

O ministro-chefe da Casa Civil, general Braga Netto, disse nesta sexta-feira (15) que Nelson Teich foi demitido do Ministério da Saúde por uma questão de "foro íntimo" e que, para a população, "nada mudou" com a troca do comando da pasta.

Leia também: "Dei o melhor de mim", diz Teich após pedido de demissão

"Ministro Teich saiu por questões de foro íntimo", disse Braga Netto. "[Teich] Conversou hoje com o presidente, comigo, com outros ministros, sem problema nenhum", afirmou Braga Netto. "São posições diferentes, o presidente não ignora a ciência", completou.

Teich pediu exoneração e se tornou o segundo ministro da Saúde a deixar o comando da pasta em menos de um mês . A saída se deu após ele se recusar a aceitar um pedido do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para recomendar a cloroquina como tratamento nos primeiros dias de sintomas da Covid-19.

Leia também: "Foi um mês jogado no lixo", diz Mandetta após saída de Teich

O ministro Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo da Presidência) acrescentou que também conversou com o ex-ministro da Saúde, que, segundo ele, "estava sereno". Ele ainda disse que o general Eduardo Pazuello, que era secretário-executivo do Ministério da Saúde, segue como ministro.

Antes de terminar sua fala, Ramos ainda defendeu que o presidente Jair Bolsonaro respeita a ciência e criticou o que chamou de "radicalismo" quanto às medidas de distanciamento social.

    Veja Também

      Mostrar mais