Tamanho do texto

Decisão foi tomada a pedido do PDT, por temor de que o ministro da Justiça e Segurança Pública pudesse descartar provas encontradas pela PF

Luiz Fux arrow-options
NELSON JR /STF
Luiz Fux garantiu que as provas contra hackers não podem ser destruídas


Em resposta a um pedido do PDT , o ministro Luiz Fux , do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou "a preservação do material probatório já colhido no bojo da Operação Spoofing e eventuais procedimentos correlatos". Ele também determinou que seja enviada ao STF "cópia do inteiro teor do inquérito relativo à referida operação, incluindo-se as provas acostadas, as já produzidas e todos os atos subsequentes que venham a ser praticados".

Leia também: "Se eu disse, foi algo mais inocente possível", diz Moro sobre "in Fux we trust"

 A decisão  sobre as provas vale pelo menos até o julgamento final da ação. A operação prendeu quatro suspeitos de invadir ou tentar invadir os celulares de várias autoridades. O processo, que é sigiloso na Justiça Federal de Brasília, continuará em segredo no STF. Há a suspeita de que ministros da Corte tenham sido hackeados.

O pedido do PDT foi uma reação à declaração do ministro da Justiça, Sergio Moro , que, segundo nota do Superior Tribunal de Justiça (STJ), informou ao presidente da Corte, ministro João Otávio de Noronha, que o material seria "descartado para não devassar a intimidade de ninguém" . Noronha teria sido um dos alvos hackeados.

Leia também: Ministro Luiz Fux é citado em nova conversa vazada entre Moro e Dallagnol

As mensagens em posse da PF podem confirmar reportagens do site "The Intercept Brasil", segundo as quais Moro não agiu com imparcialidade quando era juiz da Operação Lava Jato. De acordo com o site, ele orientou procuradores, o que é vedado.

"A salvaguarda do acervo probatório é essencial para a adequada elucidação de todos os fatos relevantes, mormente porque a eliminação definitiva de elementos de informação reclama decisão judicial", anotou Fux na decisão.

Leia também: PT pede investigação de Moro por abuso de autoridade e prevaricação 

Ele também deu um prazo de cinco dias para que Moro preste informações. Além disso, a tarefa de fornecer uma cópia do inquérito com as provas ao STF ficará à cargo da Polícia Federal (PF), que é vinculada ao Ministério da Justiça. A PF também terá cinco dias para fazer isso.