Tamanho do texto

Com a escalada de declarações polêmicas feitas pelo presidente, o partido começou a intensificar o movimento de afastamento do Planalto; entenda

João Doria, governador pelo PSDB arrow-options
Governo do Estado de São Paulo
O governador João Doria trocou o BolsoDoria por críticas a Bolsonaro

O governador de São Paulo, João Doria, que na eleição se associou a Bolsonaro por meio do slogan “BolsoDoria”,  condenou na última segunda-feira (29) a fala do presidente sobre Fernando Santa Cruz, pai do presidente da OAB Felipe Santa Cruz, que morreu na ditadura militar. Da mesma forma, Eduardo Leite, governador do Rio Grande do Sul, disse esperar uma retratação do presidente. Para ele, a fala de Bolsonaro foi “lamentável”.

Leia também: Bolsonaro põe militares e filiados do PSL em Comissão de Mortos e Desaparecidos

O movimento iniciado pelos governadores do PSDB foi reforçado nesta quarta-feira (31) pela direção do partido, que usou seus perfis em redes sociais para se posicionar. Em meio às controvérsias geradas pela declaração de Bolsonaro, o partido compartilhou uma imagem que dizia que “ser contra a ditadura no Brasil não é ser de esquerda ou comunista. É apenas respeitar a história e ser absolutamente contra todas as atrocidades cometidas durante o período”. 

Também na quarta-feira, o ex-presidente e importante liderança do PSDB, Fernando Henrique Cardoso, foi mais um a criticar Bolsonaro . Para o tucano, Bolsonaro “despreza os limites do bom senso por sua incontinência verbal”. Ele também disse que a declaração sobre a morte de Fernando Santa Cruz “contraria documentos oficiais” e “dá vazão a rompantes autoritários”.