Tamanho do texto

Presidente reclamou da falta de policiais militares na inauguração do aeroporto Gláuber Rocha, em Vitória da Conquista

Bolsonaro de chapéu nordestino arrow-options
Alan Santos/PR - 23.7.19
Bolsonaro durante cerimônia de inauguração do aeroporto Glauber Rocha, em Vitória da Conquista (BA)


O presidente Jair Bolsonaro acusou o governador da Bahia, Rui Costa (PT), de colocar a população em risco ao negar que a Polícia Militar, Polícia Civil e Bombeiros atuassem na segurança da inauguração do Aeroporto Glauber Rocha, em Vitória da Conquista, na manhã desta terça-feira (23). Segundo o porta-voz, Otávio do Rêgo Barros , Bolsonaro classificou a atitude como "irresponsável."

Leia também: 'Temos um presidente que odeia o povo do Nordeste', diz governador da Bahia

Em declaração à imprensa, Rêgo Barros disse que a segurança pessoal do presidente não foi colocada em risco em nenhum momento, uma vez que atuaram integrantes do Gabinete de Segurança Institucional (GSI ), Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e Forças Armadas. Ele justificou que a PM atuaria na segurança de área, ou seja, no entorno de onde ocorreu o evento, mas Rui Costa não permitiu o efetivo.

"Em contrapartida, a ação irresponsável daquele governante deixou vulnerável a população baiana que prestigiou a sua presença. Caso houvesse ocorrido algum tipo de tumulto, brigas, desentendimentos, a Polícia Militar não estaria presente para resolver o problema", disse o porta-voz, reproduzindo uma declaração do presidente.

Leia também: Bolsonaro diz que governo da Bahia vetou presença da PM em evento: "Lamentável"

Rêgo Barros disse que, "mesmo com a celeuma que o governador da Bahia quis criar nesta visita, inclusive colocando em risco a segurança do presidente e sua comitiva, a inauguração foi coroada de êxito."

Leia também: Governador da Bahia cancela evento com Bolsonaro após frase sobre nordestinos

Em entrevista à "Rádio Metrópole", na manhã desta terça-feira, Rui Costa argumentou que, se a inauguração do Aeroporto Glauber Rocha é evento federal, a segurança deve ser feita por forças federais, e não pelo efetivo policial do estado. Pelo Twitter, ele classificou a acusação de Bolsonaro como uma "falsa polêmica".