Tamanho do texto

Licença de cinco dias, solicitada pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, foi divulgada nesta segunda-feira no Diário Oficial da União

Moro
Pedro França/Agência Senado - 19.6.19
Sergio Moro pediu para deixar o cargo de ministro de Bolsonaro por cinco dias, durante o mês de julho

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, solicitou afastamento do cargo "para tratar de assuntos particulares". Não ficou clara se a solicitação tem alguma relação ou não com as polêmicas que vêm envolvendo o nome de um dos principais ministro do governo Bolsonaro.

Leia também: Sergio Moro se nega a responder a pergunta de Gleisi Hoffmann na Câmara

A licença de Sergio Moro será tirada no período entre os dias 15 e 19 de julho. Ela foi autorizada por despacho presidencial publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira (8) e não foi comentada pelo ministro nas redes sociais ainda. 

Por sua vez, o próprio Ministério da Justiça e Segurança Pública explicou à imprensa que o afastamento de Moro se trata de uma licença não remunerada prevista em lei. "Por ter começado a trabalhar em janeiro, o ministro não tem ainda direito a gozar férias. Então está tirando uma licença não remunerada, com base na Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990", diz nota.

Leia também: Janaina Paschoal: "Se Moro se preocupou com a Venezuela, gosto ainda mais dele"

Enquanto Moro não estiver no cargo de ministro do governo Bolsonaro, assume a pasta da Justiça e da Segurança Pública o número dois do Ministério, Luiz Pontel de Souza. As férias de Sergio Moro , inclusive, teriam sido programadas desde o início do ano.

Leia também: Moro desiste de ir a audiência na Câmara para falar sobre mensagens vazadas