Tamanho do texto

Em entrevista, divulgada nesta sexta-feira, deputada levantou suspeita sobre o filho Lucas e disse que ele tinha problemas de relacionamento com o pastor

Flordelis
Luciano Belford/Agencia O Dia
Em nota, deputada afirmou que resumo publicado por revista não condiz com a verdade

Em entrevista exclusiva à revista Veja , divulgada nesta sexta-feira (28), a deputada federal Flordelis dos Santos de Souza (PSD) fez revelações que não contou em depoimento aos investigadores que apuram o assassinato do marido da parlamentar, o pastor Anderson do Carmo Souza.

Leia também: Polícia ainda não recebeu laudo da arma achada no quarto de filho de Flordelis

Uma delas foi a relação da vítima com um dos filhos adotivos do casal, Lucas dos Santos, de 18 anos, que está preso e é um dos acusados pela morte do pastor. Segundo Flordelis , Lucas e Anderson tinha problemas de relacionamento por causa dos erros de Lucas, que está no tráfico.

"Aos 14 anos, meu filho roubou uns relógios que o irmão colecionava, pôs para vender e nós descobrimos. Como a situação era grave, meu marido bateu nele como corretivo. Hoje está no tráfico ", revelou a parlamentar.

Lucas aparece nas imagens de câmeras da rua onde fica a casa da deputada e onde Anderson foi morto apreendidas pela polícia. Ela contou, ainda, que Lucas não morava com eles desde o ano passado, que ele não tinha o hábito de aparecer sem avisar. "Aí aparece nas câmeras da rua com duas mochilas por volta das 3 da manhã. Entra e sai da casa em minutos, de mãos vazias", contou à publicação.

Ainda de acordo com a revista, a deputada disse que a mochila de Lucas, que ele aparece segurando nas imagens, foi apreendida pela polícia, mas Flordelis não quis revelar o que foi encontrado nela.

Em nota, Flordelis afirmou que entrevista à Veja está gravada e publicação 'não é fiel ao que foi dito'.

Leia também: Defesa do filho de Flordelis orienta que ele se cale sobre o crime

Confira a íntegra da nota

A entrevista da deputada federal Flordelis à revista Veja está gravada. Nós temos a gravação na íntegra. O resumo publicado pela revista não é fiel ao que foi dito por ela em alguns trechos, principalmente, no que se refere ao filho Lucas. Erro, talvez, pela necessidade de resumir, o que levou a revista a transmitir uma ideia equivocada do que foi dito na oportunidade. A entrevista durou uma hora e 50 minutos. Todas as perguntas feitas pela revista foram respondidas pela deputada, com os cuidados necessários para não tumultuar as investigações. Em nenhum momento ela levantou desconfiança sobre o filho em relação ao assassinato do pai.

Ao responder à repórter sobre o Lucas, a deputada discorreu sobre a vida dele - uma explanação longa - falou sobre os problemas que ele teve na relação com o pai, como é comum nas relações entre pais e filhos, principalmente, quando o filho tem problemas com as drogas. Não fez nenhum vínculo disso com o crime, nem por suspeição. E demonstrou o sentimento dela de mãe com relação ao filho, quando convidava-o para o almoço, com receio de ele não estar se alimentando. Sobre a saída dele de casa, a deputada deixou claro que a decisão foi dele, Lucas, exclusivamente. Uma filha que participou da entrevista, confirmou. Está gravado.

A dificuldade do pastor Anderson, em aceitar a presença do Lucas em casa, a deputada deixou claro que ela também tinha dificuldade, porque, como responsáveis, por todos os filhos, não aceitavam a droga como companheira deles.