Tamanho do texto

Autora do pedido que resultou na queda de Dilma Rousseff afirmou que "chega a ser ridícula" a "insistência" em tirar Jair Bolsonaro do poder; veja

Janaina
Reprodução/ Facebook
Janaina Paschoal defendeu o presidente Jair Bolsonar: 'Não cometeu nenhum crime de responsabilidade'

A deputada estadual Janaina Paschoal (PSL-SP), que chegou a ser cotada para ser candidata a vice-presidente na chapa de Jair Bolsonaro, se posicionou contrária a qualquer discussão sobre o impeachment do presidente. As declarações de Janaina ganham destaque porque a jurista e advogada foi a autora do pedido que resultou no afastamento da ex-presidente Dilma Rousseff.

Leia também: Janaina Paschoal e Frota querem instituir aulas de luta para meninas nas escolas

"Não há nenhum sentido em perguntar, ou responder, sobre impeachment de Bolsonaro. A razão? Simples: não há nenhum crime de responsabilidade! Chega a ser ridículo. Goste-se ou não dele, o homem não cometeu crime. Sem crime, não há impeachment. Que insistência!", afirmou Janaina Paschoal.

A deputada vem sendo amplamente questionada a respeito de um possível pedido de impeachment contra Bolsonaro devido a suspeitas de crime de responsabilidade contra o presidente. As questões se referem ao comportamento de Bolsonaro nas redes sociais, como a publicação de um vídeo com conteúdo obsceno em seu Twitter oficial, durante o carnaval. 

Leia também: Irritada com postura de Bolsonaro, Janaina Paschoal ameaça deixar bancada do PSL

Apesar de se colocar a favor de Bolsonaro nessa questão, a deputada estadual já criticou o presidente em outras ocasiões. Um exemplo disso se deu durante a convocação de manifestações em prol do governo, ocorridas no último dia 26.

"O Presidente foi eleito para governar nas regras democráticas, nos termos da Constituição Federal. Propositalmente, ele está confundindo discussões democráticas com toma-lá-dá-cá", escreveu Janaina em seu perfil no Twitter sobre as frequentes críticas de parte da base do governo às negociações do Congresso. "Não me calei diante dos crimes da esquerda, não me calarei diante da irresponsabilidade da direita", continuou a parlamentar.

A deputada defendeu que as pessoas não deveriam sair às ruas e que o presidente parasse de fazer "drama". "Bolsonaro perceberá que terá que parar de fazer drama para trabalhar", concluiu a deputada, que ainda criticou os filhos do presidente e "alguns assessores" por estarem colocando o governo em risco.

Leia também: "Bolsonaro deve parar de fazer drama e governar", alfineta Janaina Paschoal

Janaina Paschoal é professora de direito na Universidade de São Paulo (USP). Nas últimas eleições, se tornou a deputada estadual mais votada da história do Brasil com 2.060.786 votos. Antes de oficializar Hamilton Mourão como parceiro de chapa, Bolsonaro cogitou colocar Janaína como candidata a vice.

    Leia tudo sobre: impeachment