Tamanho do texto

Com ironia, escritor agradeceu o presidente por ter se tornado seu "boi-de-piranha" e acusou o seu vice de fazer declarações que dividem o governo

Olavo de Carvalho
Reprodução
Apontado como guru do presidente, Olavo de Carvalho deu início à polêmica entre Carlos Bolsonaro e Mourão

A polêmica entre Carlos Bolsonaro, Olavo de Carvalho e o vice-presidente Hamilton Mourão parece não ter fim. Nessa quarta-feira (24), o escritor publicou uma série de mensagens em suas redes sociais, em que afirmou que se tornou um "boi-de-piranha" do presidente e defendeu Carlos Bolsonaro. 

Leia também: Nova crise no governo? Entenda a confusão entre Mourão e Carlos Bolsonaro

Considerado o "guru intectual" do presidente, Olavo de Carvalho foi o autor do vídeo que iniciou a confusão. Compartilhado no próprio canal oficial de Jair Bolsonaro no Youtube e depois na conta de Carlos no Twitter, o vídeo fazia críticas a militares e parlamentares da base aliada do governo. "Carlos Bolsonaro é um herói nacional. Por isso é que tentam destrui-lo", escreveu o ideólogo na noite de ontem. 

Olavo também comentou a  declaração do presidente na última segunda-feira. Na ocasião, o porta-voz do governo, Otávio Rêgo Barros, leu uma mensagem de Bolsonaro em que afirmou  que as recentes declarações do escritor contra integrantes do governo "não contribuem para a unicidade de esforços e consequente atingimento dos objetivos propostos". 

"Obrigado, Sr. presidente, pela chance que o senhor me deu de ser o seu boi-de-piranha, levando nas minhas costas pelo menos metade das pancadas que lhe eram dirigidas e em seguida sendo acusado de ter o comportamento divisionista que de fato é o do seu querido vice-presidente", ironizou Olavo. 

Algumas horas depois, o ideólogo voltou a defender o vereador. "No dia seguinte da posse, o Mourão começou a combater tudo o que o Bolsonaro prometera na campanha. E divisionista é o Carlos Bolsonaro, não é mesmo?", questionou. 

Olavo disse ainda que o presidente começou a "amaldiçoar os amigos" e "puxar o saco" de inimigos que, de acordo com o escritor, "queriam matá-lo". "Só espero que ele jamais me explique por que fez isso", completou. 

Na manhã desta quinta-feira, o "guru" do presidente voltou a escrever e, em uma de suas publicações,  reafirmou sua posição sobre o ministro da Secretaria de Governo, general Carlos Alberto dos Santos Cruz. 

"Como é possível um general de Exército, falando do autor de dois best-sellers e mais dezoito livros, premiado internacionalmente, o único escritor brasileiro portador de um 'Einstein Visa', dizer que ele só escreve palavrões e ameaças de agressão física? Esse general é evidentemente LOUCO ou então é um monstro de irresponsabilidade, incapacitado para qualquer função social de pessoa adulta", atacou Olavo. 

Ele ainda sugeriu que o ministro teria dito a Bolsonaro para ser amigo dos jornalistas, que teriam "ódio assassino" pelo presidente. Por fim, voltou a se defender e acusar Mourão de dividir o governo. "Quem divide o governo? O vice que combate tudo o que o presidente defende ou o escritor que simplesmente conta que ele está fazendo isso? A culpa há de ser sempre do carteiro?", escreveu Olavo de Carvalho .