Tamanho do texto

Defesa do petista tem tentado tirá-lo da prisão desde que ele foi levado à sede da Polícia Federal em Curitiba, no dia 7 de abril do ano passado; veja

Sítio de Lula está sendo reformado para uma eventual decisão a favor da prisão domiciliar do ex-presidente
Reprodução/Facebook
Sítio de Lula está sendo reformado para uma eventual decisão a favor da prisão domiciliar do ex-presidente

A prefeitura de São Bernardo do Campo, região do ABC Paulista, autorizou, segundo informações reveladas nesta segunda-feira (25), que fossem iniciadas obras em uma propriedade da família do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na cidade. Tal reforma teria o objetivo de modernizar o local, principalmente para prepará-lo para receber Lula em uma eventual prisão temporária.

Leia também: Defesa de Lula cria "teoria da conspiração" ao contestar sentença, diz Lava Jato

As informações são do jornal O Estado de S.Paulo . O sítio de Lula é localizado às margens da represa Billings, e tem cerca de 20 mil metros quadrados, com área de lazer completa e campo de futebol.

De acordo com o jornal, a licença para as obras foi assinada pelo prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando (PSDB), na semana passada. Não se sabe, porém, quais serão as obras realizadas no sítio e nem quanto custará tal reforma, dado que será bancada pela família do ex-mandatário.

O ex-presidente petista está preso na Superintendência da Polícia Federal de Curitiba desde o dia 7 de abril do ano passado, condenado a 12 anos e um mês de detenção por corrupção passiva e lavagem de dinheiro para beneficiar empreiteiras em negócios da Petrobras, na Operação Lava Jato .

Desde o dia em que foi detido, o ex-presidente tentou sair duas vezes da sede da PF para participar de um velório. Na terceira vez, conseguiu a permissão e foi velar o neto , também em São Bernardo.

Em novembro de 2018, o ex-presidente tentou prestar suas homenagens ao ex-deputado Sigmaringa Seixas, que era amigo pessoal de Lula. Na decisão, a Justiça afirmou que não poderia liberar o petista, uma vez que não se tratava de um cônjuge ou de um parente de primeiro grau.

Mais tarde, em janeiro, a defesa do ex-presidente recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para que o petista pudesse comparecer ao velório do seu irmão, Genival Inácio da Silva. A decisão veio tarde e o petista não saiu da cadeia naquele dia.

Leia também: Lula tem depoimento adiado e ganha acesso a provas de delação de Palocci

Em paralelo a tais acontecimentos, a defesa de Lula busca convencer o Supremo de conceder prisão domiciliar ao expresidente.

    Leia tudo sobre: lula