Defesa de Lula tenta anular sentença de Gabriela Hardt
Ricardo Stuckert
Defesa de Lula tenta anular sentença de Gabriela Hardt


Um dia após a defesa do ex-presidente Lula entrar com um recurso no Supremo Tribunal Federal com uma perícia particular para  desqualificar a sentença da juíza Gabriela Hardt no caso do sítio de Atibaia, a Força-Tarefa da Lava-Jato se manifestou por meio de nota e acusou os advogados de criarem uma “”teoria da conspiração” sobre “perseguição política”.

Leia também: Gabriela Hardt ordena o confisco do sítio de Atibaia por ser produto de crimes

Segundo o Ministério Público do Paraná, responsável pelas investigações da Operação Lava Jato, a defesa de Lula se mostra inconformada com a sentença que condenou o ex-presidente a 12 anos e 11 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A atitude de enviar uma perícia particular mostra a tentativa de “atacar a magistrada Gabriela Hardt”.

“O apego da defesa a aspectos secundários e marginais das sentenças condenatórias já proferidas em face do ex-presidente, manifestamente insignificantes, revela mais uma tentativa forçada de retirada do caso do Juízo competente, por meio do ataque à pessoa de seus julgadores”, diz a nota da Lava Jato .

Você viu?

Na visão dos promotores, os advogados têm o direito de recorrer da sentença, mas sem desvirtuar aspectos formais que, segundo a Força-tarefa, são irrelevantes para a decisão final.

De acordo com o laudo entregue pela defesa do petista, há “certeza técnica de que a sentença do sítio foi superposta ao arquivo de texto da sentença do tríplex, diante das múltiplas e extremamente singulares ‘coincidências’ terminológicas”. Assim, os advogados pedem que o STF suspenda a decisão de  Gabriela Hardt , que condenou Lula a 12 anos e 11 meses por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Leia também: Defesa de Lula recorre ao STF para anular decisões de Hardt no caso do sítio

O documento assinado por Celso Mauro Ribeiro Del Picchia, membro Emérito da Associação dos Peritos Judiciais do Estado de São Paulo, da International Association of Forensinc Sciences [IAFS], da Associação Brasileira de Criminalística [ABC] e da Asociación Latinoamericana de Criminalística, indica que o texto de Hardt apresenta frases com os mesmos conjuntos e construções características da redação de Moro.

A magistrada assumiu que usou o texto da primeira condenação de Lula , aplicada pelo por Sérgio Moro, em julho de 2017, como ‘modelo’ e já enviou as correções após receber embargos. A condenação de 12 anos e 11 meses, porém, está mantida.

    Leia tudo sobre: Lula

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários