Tamanho do texto

Ex-presidente deixou a carceragem da PF em um helicóptero às 7h deste sábado e viajou de avião até São Paulo; cerimônia terminou por volta das 13h

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deixou velório do neto Arthur Lula da Silva, de 7 anos, por volta das 13h
Reprodução/TV Globo
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deixou velório do neto Arthur Lula da Silva, de 7 anos, por volta das 13h

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deixou velório do neto Arthur Lula da Silva, de 7 anos, em São Bernardo do Campo (SP), perto das 13h deste sábado (2). O petista votou a sede da Polícia Federal em Curitiba, onde cumpre pena, às 15h45. Vítima de uma meningite meningocócica, Arthur morreu nesta sexta-feira (1º) e teve seu corpo cremado às 12h de hoje.

Leia também: Justiça autoriza ida de Lula ao velório do neto, mas deslocamento será em sigilo

Lula  saiu da sede da Polícia Federal, às 7h, em um helicóptero da Polícia Civil, seguiu para o Aeroporto do Bacacheri, também na capital paranaense, e embarcou em uma aeronave do governo do Paraná. O avião decolou do terminal aéreo perto das 7h20 e chegou em São Paulo perto das 8h30. O velório do corpo de Arthur aconteceu no Cemitério Jardim da Colina.

A juíza Carolina Lebbos, da 12ª Vara Federal em Curitiba , autorizou ontem o ex-presidente a deixar a carceragem para comparecer ao velório do neto. A decisão está em segredo de Justiça e não será inteiramente divulgada por motivos de segurança. Coube à PF escoltar o ex-presidente até o local do velório e do sepultamento.

O petista teve permissão de ficar 1h30 no local do velório, junto a sua família. O ex-presidente chegou aos gritos de "Lula livre" e "Lula guerreiro do povo brasileiro", acenou para apoiadores, que se aglomeravam no entorno, contidos por grades e ficou acompanhado por policiais. 

Leia também: Neto de Lula morre de meningite meningocócica na Grande São Paulo

No pedido de autorização para o petista deixar a prisão, feito no início da tarde, os advogados do ex-presidente argumentaram que a Lei de Execução Penal (LEP) prevê que presos deixem a prisão para comparecer ao velório de parente próximos.

Lula deixa carceragem da PF em Curitiba para ir ao velório do neto em São Bernardo do Campo, em São Paulo
Reprodução/Globo News
Lula deixa carceragem da PF em Curitiba para ir ao velório do neto em São Bernardo do Campo, em São Paulo

Lula está preso desde 7 de abril do ano passado por ter sua condenação confirmada pelo Tribunal Regional Federal (4ª Região), que impôs pena de 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex de Guarujá (SP).

Em janeiro, o ex-presidente  pediu autorização para sair da prisão e comparecer ao velório do irmão, Genival Inácio da Silva, conhecido como Vavá, que morreu em decorrência de um câncer no pulmão. O pedido, porém, foi negado pela juíza federal Carolina Lebbos. A decisão foi confirmada pelo desembargador federal Leandro Paulsen, do TRF-4.

Leia também: Defesa de Lula protocola perícia para tentar anular sentença do caso do sítio

Mais tarde, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, aceitou recurso da defesa e autorizou a saída de Lula , mas o ex-presidente não concordou com as condições impostas na decisão, que determinava que o ex-presidente poderia se encontrar com os parentes, mas em um quartel das Forças Armadas. A decisão de Toffoli também foi tomada só após o velório de Vavá.

*Com informações da Agência Brasil.

    Leia tudo sobre: lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas