Tamanho do texto

Presidente disse que muitos "podem achar" que a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos tem uma "importância não muito grande"

Ministra Damares Alves recebe flor em evento do Dia Internacional da Mulher com o presidente Jair Bolsonaro
Carolina Antunes/PR - 8.3.19
Ministra Damares Alves recebe flor em evento do Dia Internacional da Mulher com o presidente Jair Bolsonaro

Em uma nova declaração polêmica, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou que não toma suas decisões de governo sozinho e que sempre procura ouvir seus ministros em cada área. Até aí, nada que a internet pudesse contestar. No entanto, o presidente destacou que ouve "até a Damares", referindo-se à ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, quem, de acordo com ele, "podem achar que é uma ministra com importância não muito grande".

Leia também: Vamos ensinar meninos a levar flores e a abrir porta para mulheres, diz Damares

"Qualquer decisão minha, eu ouço qualquer ministro da área. Não tomo sozinho, até porque eu posso errar. Tem que ter responsabilidade, é obvio", disse o presidente. "Até a Damares, por exemplo, que podem achar que é uma ministra com importância não muito grande, mas tem importância", continuou o presidente, sobre Damares Alves .

"A Damares é uma ministra que trata da questão da família, direitos humanos, eu converso muito com ela. Está fazendo um trabalho excepcional no seu ministério. Com o Wagner Rosário [ministro da Transparência], a mesma coisa, com o ministro da Infraestrutura, com o ministro da Defesa", continuou Bolsonaro

Leia também: Declaração de Bolsonaro sobre crianças que recebem Bolsa Família gera revolta

A declaração foi dada durante uma transmissão ao vivo de Bolsonaro no Facebook, direto de Santiago, no Chile. E, apesar do presidente ter dado sequência à sua fala com elogios à ministra, muitos internautas criticaram o destaque dado à Damares , que é uma das duas únicas mulheres nos ministérios de Bolsonaro. A outra é Tereza Cristina, da Agricultura.

Em suas publicações, usuários das redes sociais questionaram o grau de importância que o presidente atribui à ministra e à pasta da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. 

No último dia 8 de março, em cerimônia que celebrava o Dia Internacional da Mulher, Bolsonaro falou que uma mulher seria  equivalente a 10 homens e, por isso, brincou que a proporção entre homens e mulheres em seus ministérios era "equilibrada". 

"Pela primeira vez na vida o número de ministros e ministras está equilibrado em nosso governo. Temos 22 ministérios, 20 homens e duas mulheres. Somente um pequeno detalhe. Cada uma dessas mulheres que estão aqui equivalem por 10 homens. A garra dessas duas transmite energia para os demais", afirmou o presidente, se dirigindo a Tereza Cristina e Damares Alves .