Tamanho do texto

Em discurso, a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos defendeu que meninas são iguais em direitos, mas diferentes "por serem mulheres"

Damares Alves assinou acordo com Sérgio Moro com objetivo de combater a violência contra a mulher
Reprodução/Flickr
Damares Alves assinou acordo com Sérgio Moro com objetivo de combater a violência contra a mulher

A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, disse que o governo vai ensinar meninos a levar flores e a abrir a porta do carro para mulheres. A ministra também afirmou que haverá orientação para que profissionais de beleza denunciem agressões contra mulheres. 

Damares fez o comentário durante a assinatura do acordo-técnico com objetivo de fortalecer as políticas públicas voltadas à proteção da mulher em situação de violência, juntamente com o ministro da Justiça, Sérgio Moro. 

Em seu discurso, ela lançou a campanha #SalveUmaMulher e afirmou que o governo deve ir até as escolas para conversar com crianças de quatro a cinco anos e "ensinar os meninos a amarem as meninas". 

"Vamos ensinar nossos meninos a levarem flores para as meninas, por que não? A abrir porta do carro para uma mulher, por que não? A se reverenciar para uma mulher, por que não? Nós não vamos estar colocando a mulher em uma situação de fragilidade. Mas vamos elevar para um patamar de um ser especial pleno, de um ser extraordinário", defendeu. 

"Os meninos vão ter que entender que as meninas são iguais em direitos e oportunidades, mas são diferentes por serem mulheres e precisam ser amadas e respeitadas como mulheres. Enquanto nossos meninos acharem que menino é igual à menina, como se pregou no passado, algumas ideologias... já que a menina é igual, ela aguenta apanhar", completou. 

Leia também: Bolsonaro fará evento com Michelle e Damares para Dia Internacional da Mulher





Após a repercussão de sua fala, a ministra publicou uma mensagem em sua conta do Twitter e afirmou que iniciativa é "fundamental". "E por que não? É claro esse ato isolado não resolve o problema e tampouco é isso que proponho. Mas ensinar o respeito desde que todos são bem pequenos é fundamental. Precisamos resgatar valores que são caros à família", escreveu. 

Ela afirmou ainda que a campanha tem a ideia de enfrentar a violência contra a mulher com ações que visem conscientizar a todos sobre a promoção de direitos, especialmente os profissionais que lidam com o público feminino, como os de beleza, pois há uma relação de "confiança" entre eles.

"Vamos treinar as manicures para quando estiver fazendo a unha da mulher, olhar se tem uma marca no braço, se essa mulher não está tremendo muito. Treinar o cabeleireiros na hora de erguer o cabelo para fazer uma escova, olhar se não tem uma mancha", explicou a ministra.

Leia também: O Dia da Mulher visto da Câmara: conheça as propostas das deputadas em 2019

O acordo entre Damares e Moro terá duração de dois anos e as metas de cada órgão ainda serão definidas em até 30 dias. A iniciativa acontece em um momento em que há aumento no número de feminicídios: ao menos 126 mulheres foram vítimas nos dois primeiros meses de 2019.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.