Tamanho do texto

Nesta manhã, Damares e Moro também assinaram um acordo de cooperação técnica para combater a violência doméstica e familiar contra mulheres

Bolsonaro fará evento em comemoração ao Dia Internacional da Mulher
Alan Santos/PR - 26.2.19
Bolsonaro fará evento em comemoração ao Dia Internacional da Mulher

Neste dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher, o governo de Jair Bolsonaro vai realizar um evento para funcionárias do Palácio do Planalto, com a presença da primeira-dama, Michelle, da ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves e do ministro da Cidadania, Osmar Terra.

Leia também: O Dia da Mulher visto da Câmara: conheça as propostas das deputadas em 2019

O evento será fechado e devem ser distribuídos presentes em homenagem ao 8 de março. Os participantes também deverão fazer um discurso para as convidadas. Os três ministros já haviam participado de um encontro com Bolsonaro ontem (7) para discutir a ação. 

Além disso, nesta manhã, Damares e o ministro da Justiça, Sérgio Moro,  assinaram acordo de cooperação técnica para estabelecimento de políticas públicas de proteção a mulheres e combate à violência doméstica e familiar. 

A medida tem o objetivo de mobilizar as unidades, agentes e serviços de ambos os órgãos em ações de atendimento e proteção a mulheres vítimas de violência , além de fomentar o tratamento dos agressores que estejam no sistema prisional, monitorados por tornozeleiras eletrônicas ou em cumprimento de penas alternativas.

Em sua conta do Twitter, o presidente publicou um vídeo em que Damares cita dados sobre violência contra a mulher e disse que "fará de tudo" para que as mulheres , a quem ele chamou de "jóias raras", possam se sentir mais representadas pelo governo. 





Leia também: Lei do feminicídio completa 4 anos, mas ainda enfrenta resistência no Brasil

No vídeo, que mostra parte de uma entrevista de Damares à NDR, a ministra diz que "a mulher não sofre violência só dentro de casa, sofre no ônibus, no metrô", e que "o que vemos no Brasil é um desrespeito. Vamos reforçar a rede de proteção à mulher e o ministério vem com esta ideia."

Durante seu mandato como deputado, Bolsonaro foi criticado diversas vezes por suas falas polêmicas em relação às mulheres. “Eu tenho cinco filhos. Foram quatro homens, a quinta eu dei uma fraquejada e veio uma mulher”, disse, em 2017.