Tamanho do texto

Perícia protocolada pelos advogados do ex-presidente junto ao STF afirma que a juíza Gabriela Hardt usou partes do texto da sentença de Moro para setenciar Lula no caso do sítio de Atibaia e pede anulação da condenação

defesa de Lula afirma que Gabriela Hardt usou trechos da sentença de Moro na sentença do sítio de Atibaia
Reprodução/Twitter
defesa de Lula afirma que Gabriela Hardt usou trechos da sentença de Moro na sentença do sítio de Atibaia


Os advogados de Luiz Inácio Lula da Silva protocolaram uma perícia no Supremo Tribunal Federal (STF), nesta quinta-feira (28), que sugere que a juíza Gabriela Hardt escreveu sua sentença sobre a condenação do ex-presidente no caso do sítio de Atibaia tendo como base o texto que o ex-juiz Sérgio Moro utilizou no caso do tríplex do Guarujá.

Leia também: MPF vê contradição e pede que corrupção ativa seja retirada da sentença de Lula 

De acordo com o laudo entregue pela defesa do petista, há “certeza técnica de que a sentença do sítio foi superposta ao arquivo de texto da sentença do tríplex, diante das múltiplas e extremamente singulares ‘coincidências’ terminológicas”. Assim, os advogados pedem que o STF suspenda a decisão de Gabriela Hardt , que condenou Lula a 12 anos e 11 meses por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O documento assinado por Celso Mauro Ribeiro Del Picchia, membro Emérito da Associação dos Peritos Judiciais do Estado de São Paulo, da International Association of Forensinc Sciences [IAFS], da Associação Brasileira de Criminalística [ABC] e da Asociación Latinoamericana de Criminalística, indica que o texto de Hardt apresenta frases com os mesmos conjuntos e construções características da redação de Moro.

Leia também: Gabriela Hardt ordena o confisco do sítio de Atibaia por ser produto de crimes

De acordo com os advogados, o perito encontrou, no antepenúltimo parágrafo da sentença, uma clara referência de que a juíza apenas copiou e colou a decisão do hoje ministro da Justiça e Segurança Pública.

Os advogados alegam que há, na sentença da juíza, inclusive uma referência ao apartamento, sendo que o assunto tratado no texto se refere ao sítio de Atibaia .

 “Ali estão sendo apenas formalizadas decisões condenatórias pré-estabelecidas, inclusive por meio de aproveitamento de sentenças proferidas pelo ex-juiz da Vara, símbolo do programa punitivo direcionado”, afirma a defesa de Lula .

A magistrada assumiu que dizusou o texto da primeira condenação de Lula, aplicada pelo por Sérgio Moro, em julho de 2017, como ‘modelo’ e já enviou as correções após receber embargos. A condenação de 12 anos e 11 meses, porém, está mantida.

Leia também: Nove perguntas e respostas para entender a condenação de Lula no caso do sítio

Gabriela Hardt substituiu Sérgio Moro após o então juiz aceitar o convite para ser ministro da Justiça no governo Bolsonaro. Coube a magistrada interrogar Lula e sentenciar o ex-presidente no caso do sítio de Atibaia.

    Leia tudo sobre: Lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.