Tamanho do texto

Arthur Araújo Lula da Silva, de apenas 7 anos, foi internado como uma forte febre no Hospital Bartira, em Santa André, mas não resistiu; expectativa é que defesa do ex-presidente peça para que ele possa comparecer ao velório

Arthur Araújo Lula da Silva tinha sete anos e morreu por conta de uma meningite
Reprodução
Arthur Araújo Lula da Silva tinha sete anos e morreu por conta de uma meningite

Morreu, no final da manhã desta sexta-feira (1), Arthur Araújo Lula da Silva, neto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele era filho de Sandro Luis Lula da Silva, um dos filhos do petista com o ex-primeira dama Marisa Letícia. Arthur foi internado no início da manhã como uma forte febre no Hospital Bartira, em Santo André, mas não resistiu. A causa do falecimento da crianças foi uma meningite meningocócica.

Leia também: Lula escreveu carta para o irmão Vavá pouco antes de sua morte

A expectativa é que a defesa de Lula faça um pedido à Justiça para que ele possa comparecer ao funeral do neto. No mês passado, Lula perdeu o irmão mais velho, Genivaldo Inácio da Silva, conhecido como Vavá e pediu autorização para comparecer à cerimônia.

A juíza Carolina Lebbos , da Vara de Execuções Penais de Curitiba, negou o pedido do ex-presidente com base na justificativa de que a "permissão de saída será concedida pelo diretor do estabelecimento onde se encontra o preso".

A Superintendência da Polícia Federal, por sua vez, declarou-se "impossibilitada de garantir a ordem pública e a segurança do preso". O desembargador de plantão do Tribunal Regional Federal da 4ª região, Leandro Paulsen.

Leia também: "Decisões da Justiça têm de ser cumpridas", diz Moro sobre o caso de Lula

O caso foi parar no Supremo Tribunal Federal e o ministro Dias Toffoli autorizou a saída do ex-presidente, afirmando que a PF "não deveria obstar o cumprimento de um direito assegurado". No entanto, Toffoli determinou que o ex-presidente poderia apenas ir para uma unidade militar na região do ABC, para onde o corpo poderia ser levado.

Àquela altura,  Vavá  já estava sendo velado e foi sepultado minutos depois da decisão. O ex-presidente e seus advogados entenderam que não havia mais tempo hábil. Por isso, ele desistiu do deslocamento e permaneceu em Curitiba.  

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann e outros membros importantes do partido se solidarizaram com ex-presidente e relembraram o ocorrido na morte de Vavá. Gleisi escreveu que "fará de tudo" para que Lula possa se despedir do neto.

De acordo com o artigo 120 da Lei de Execução Penal, "condenados que cumprem pena em regime fechado ou semi-aberto e os presos provisórios poderão obter permissão para sair do estabelecimento, mediante escolta, quando ocorrer um dos seguintes fatos: 

I - falecimento ou doença grave do cônjuge, companheira, ascendente, descendente ou irmão;", portanto, o petista estaria qualificado para solicitar sua saída.

O ex-presidente Luiz Inácio  Lula  da Silva segue preso na Superitendência da Polícia Federal de Curitiba. O petista está detido desde 07 de abril de 2018 e cumpre condenação de 12 anos e 1 mês por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

    Leia tudo sobre: Lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.