Tamanho do texto

Alessandro Molon (PSB-RJ) foi escolhido como líder da Oposição e Jandira Feghali (PCdoB-RJ) será líder da Minoria na Câmara dos Deputados

Alessandro Molon será o líder da Oposição ha Câmara dos Deputados
Billy Boss/Câmara dos Deputados
Alessandro Molon será o líder da Oposição ha Câmara dos Deputados


O deputado federal Alessandro Molon (PSB-RJ) será formalizado nesta quinta-feira (14) como líder da oposição na Câmara dos Deputados. O parlamentar, que já foi filiado também ao PT e a Rede, foi escolhido nesta quinta-feira pelo bloco formado pelos três partidos mais o PSOL. Também do Rio de Janeiro, Jandira Feghali (PCdoB-RJ) será a líder da minoria.

Leia também: Câmara anuncia criação de CPI para investigar causas da tragédia de Brumadinho

A ideia do bloco formado por PSB, PT, Rede e PSOL era conseguir as duas lideranças. O problema é que outros partidos fortes da oposição – PDT e PcdoB – formaram um outro bloco junto com mais sete siglas, conseguindo assim, o segundo maior bloco da Casa que, segundo o regimento, garante a liderança da Minoria. Assim, o PSB se contentou e ter apenas o líder da oposição .

Com a liderança da Minoria, o PcdoB ganha mais força na Câmara, além de ter mais estrutura para funcionários, gabinete e cargos comissionados. Também são os líderes de partido, Oposição, Maioria e Minoria que encaminham votos aos deputados de seus respectivos blocos no plenário.

Leia também: Eduardo Bolsonaro propõe mudança em Medida Provisória enviada pelo pai

Líder da Minoria e Líder da Oposição já confrontaram a família Bolsonaro

Jandira Feghali não conseguiu ser líder da Oposição, mas ficou com a liderança da Minoria
Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Jandira Feghali não conseguiu ser líder da Oposição, mas ficou com a liderança da Minoria


Jandira Feghali já foi líder da Minoria durante o governo de Michel Temer. A deputada do PcdoB foi a 14ª colocada nas eleições, com 71.646 votos. Em 2016, foi candidata a prefeita do Rio de Janeiro, com o apoio do PT, mas não conseguiu ser eleita.

Alessandro Molon ficou em terceiro nas últimas eleições, com 227.914 votos. O parlamentar também concorreu à prefeitura do Rio de Janeiro em 2016, quando ainda era filiado à Rede.

Leia também: Brasil tem "última chance" de reformar Previdência sem tirar direitos, diz Maia

Tanto Molon, como Feghali ficaram conhecidos por fazerem forte oposição à família Bolsonaro. Vindos da mesma base eleitoral do presidente – Rio de Janeiro – os parlamentares se elegeram com o discurso de discordância das ideias do político do PSL.

 Com o líder da Oposição e da Minoria decididos, a tendência é que a discussão sobre pautas apresentadas pelo Planalto sejam discutidas de maneira mais inflamada. Partido do presidente Jair Bolsonaro, o PSL tem a maior bancada, o que pode prehudicar os partidos de oposição.