Tamanho do texto

Chanceler Ernesto Araújo negocia a ida do presidente brasileiro para o país comandado por Donald Trump; reunião entre os dois líderes ainda é incerta

Primeira reunião entre Bolsonaro e Trump pode acontecer em março
Reprodução
Primeira reunião entre Bolsonaro e Trump pode acontecer em março

O presidente Jair Bolsonaro deve visitar os Estados Unidos em meados de março, a data está em negociação. O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, passou os últimos dois dias em Washington e nesta quinta-feira (7) estará em Nova York para acertar os detalhes da viagem presidencial.

Leia também: MPRJ define novo promotor para investigação envolvendo senador Flávio Bolsonaro

A agenda de Bolsonaro deve reunir temas econômicos e comerciais, segundo o chanceler. Araújo quer também que parlamentares norte-americanos visitem o Brasil para conhecer a realidade nacional e discutir temas de interesse mútuo.

No entanto, não está claro se o presidente brasileiro fará uma reunião com o líder norte-americano, Donald Trump . Os dois trocaram elogias através das redes sociais, mas nunca se encontraram pessoalmente. No ano passado, quando discutiu as mudanças do Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (NAFTA), Trump criticou a relação comercial entre Brasil e Estados Unidos.

Em Nova York, Araújo terá reuniões com empresários e formadores de opinião, além de especialistas em geopolítica mundial. Ele se encontrou com o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo na última terça-feira (5).

Leia também: Bolsonaro posta foto com notícia da condenação de Lula, mas não comenta

Durante a passagem por Washington, o chanceler também conversou com o ministro do Exterior da Turquia, Mevlüt Çavuşoğlu. Segundo Araújo, o turco quis saber como está a definição sobre a possível transferência da Embaixada do Brasil de Tel Aviv para Jerusalém. O tema divide a comunidade judaica e a muçulmana, pois Jerusalém é considerada religiosa para os dois povos, além dos católicos.

Araújo afirmou ao chanceler turco que o assunto está em fase de análise. “É um processo que estamos estudando”, disse o ministro brasileiro, lembrando que o representante do governo da Turquia demonstrou preocupação com a eventual transferência.

“Sobretudo a preocupação de que um eventual gesto brasileiro sobre a mudança de paz pode ter algum tipo de impacto ou repercussão negativa para a região ou o processo de paz. [Eles querem que] qualquer reação nossa contribua para a paz na região”, ressaltou Ernesto Araújo .

Data da alta de Bolsonaro não foi definida

Jair Bolsonaro ainda não sabe a data que terá alta do hospital Albert Einstein
Reprodução/Twitter
Jair Bolsonaro ainda não sabe a data que terá alta do hospital Albert Einstein

Apesar de já estar planejando sua agenda para os próximos meses, o presidente Jair Bolsonaro ainda não sabe quando terá alta do Hospital Albert Einstein, onde fez uma cirurgia para retirada da bolsa de colostomia e reconstrução do trânsito intestinal após sofrer um atentado a facada durante um comício na cidade de Juiz de Fora (MG), em setembro do ano passado.

Leia também: Exames apontam melhora e aumento na movimentação intestinal de Bolsonaro

Bolsonaro  foi internado no dia 27 de janeiro e passou pelo procedimento no dia seguinte. A expectativa era que ele deixasse o hospital em dez dias. No entanto, a recuperação tem sido mais demorada. O presidente está estável e sem febre, mas está utilizando uma sonda nasogástrica e um dreno no abdômen. Uma nova possível data de alta não foi estipulada pelos médicos.