Embaixador da Palestina no Brasil, Ibrahim Alzeben, espera que Brasil não mude embaixada em Israel
Valter Campanato/Agência Brasil
Embaixador da Palestina no Brasil, Ibrahim Alzeben, espera que Brasil não mude embaixada em Israel

O embaixador da Palestina no Brasil, Ibrahim Mohamed Khalil Alzeben, pediu nesta segunda-feira (28) que a Embaixada do Brasil em Israel seja mantida em TelAviv, e não transferida para Jerusalém. O tema está em discussão no governo federal.

A mudança da embaixada para Jerusalém é uma promessa de campanha do presidente Jair Bolsonaro. O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, disse que a definição é praticamente certa.

 “[O assunto] será estudado pelas altas autoridades brasileiras, e esperamos que não aconteça. Isso está em discussão, em discussão muito longa”, disse o palestino após uma reunião com o presidente da República em exercício, Hamilton Mourão. Para o embaixador, a transferência pode ser “danosa”. “Isso vai ser danoso para israelenses, para palestinos, para o Brasil, para o mundo inteiro, para a paz. Assim, esperamos que não aconteça.”

O embaixador palestino também convidou Mourão e Bolsonaro para visitarem a Palestina e rezarem, todos juntos, pela paz entre palestinos e Israelenses. Ao visitar o Brasil no mês passado , o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, afirmou ter recebido de Bolsonaro a garantia de que a mudança será concretizada.

A cidade de Jerusalém está no centro de confrontos e disputas entre palestinos e israelenses, pois ambos reivindicam o local como sagrado. Para evitar o agravamento da situação, os países consideram Tel Aviv como a capital administrativa de Israel onde ficam as representações diplomáticas internacionais.

Você viu?

Na conversa com Mourão, Alzeben expressou seu desejo de uma recuperação rápida ao presidente da República, que se submeteu a uma cirurgia no dia de hoje.

O embaixador palestino também entregou uma carta de condolências pelo desastre ambiental em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte há três dias.

“Entregamos uma carta de condolências para o presidente e para o povo do Brasil. Tivemos uma conversa sobre relações bilaterais entre Brasil e palestina e saímos muito satisfeitos de que as boas relações continuarão entre Palestina e Brasil, respeitando essa tradição brasileira ao longo dos 70 anos”, afirmou Alzeben.

O Brasil reconhece a Palestina como Estado desde 1947, época que Eugênio Gaspar Dutra era presidente. Desde então a posição não foi alterada, apesar das declarações de Bolsonaro na campanha eleitoral.

No último dia 23, Mourão negou que o Brasil fechará a sua embaixada na Palestina. O vice de Bolsonaro garantiu que nada mudará na relação entre os dois países, independente das decisões tomadas a respeito de Israel. "A relação com Israel não muda nada disso. Os dois Estados são reconhecidos, o resto tudo é retórica e ilação", disse Mourão.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários