Tamanho do texto

Deputado eleito por São Paulo anunciou que vai apoiar Marcel van Hattem, do partido Novo, que é um dos fundadores do MBL no Rio Grande do Sul

Kim Kataguiri desistiu da candidatura à presidência da Câmara para apoiar Marcel van Hattem (Novo)
Reprodução/Twitter
Kim Kataguiri desistiu da candidatura à presidência da Câmara para apoiar Marcel van Hattem (Novo)


O deputado federal eleito por São Paulo, Kim Kataguiri, desistiu de sua candidatura à presidência da Câmara dos Deputados. Em post no Twiiter nesta quarta-feira (23), o parlamentar do DEM disse que abriu mão de assumir o posto para apoiar Marcel van Hattem (Novo-RS ). O curioso é que ambos são fundadores do Movimento Brasil Livre (MBL), organização que foi importante durante o processo de impeachment de Dilma Rousseff.

Assim como Kim Kataguiri , Marcel van Hattem também não tem os 35 anos necessários para ser Presidente da República e, portanto, busca autorização do Supremo Tribunal Federal para que possa ser o comandante da Câmara dos Deputados. Como o presidente da Casa entra na linha sucessória a chefe de Estado do Brasil, há discussão se o limite de idade também é válido para o posto.

“Eu e o Marcel van Hattem pensamos da mesma maneira, não há razão para competirmos. Retiro minha candidatura e dou todo meu apoio, junto do MBL, a sua candidatura! Juntos por um Brasil Livre!”, escreveu Kataguiri na rede social.

Filiado ao partido Novo, van Hattem, de 33 anos, é um dos fundadores do MBL no Rio Grande do Sul. Antes, já exercia o mandato de deputado estadual pelo PP, se filiando ao Novo apenas em 2018. Nas eleições, foi o candidato a deputado federal mais votado, com 349.855 votos.

De acordo com nota enviada pelo  partido Novo , as principais bandeiras defendidas pela candidatura de Van Hattem são:  reforma da previdência; reforma política, prioritariamente com o fim do fundo partidário; cortes de gastos na própria Câmara; e valorização do trabalho dos deputados, com menos comissões, mais clareza no regimento, entre outros temas.

Leia também: Vereador do MBL quer acabar com cotas raciais em concursos públicos: “É racismo”

Além disso, o partido afirma que é totalmente contrário ao aumento do salário dos parlamentares, conforme abaixo-assinado lançado pela sigla.  

“Tivemos tempo para ouvir e debater todas as propostas que foram apresentadas até agora, por isso essa candidatura é tão importante. Ela representa um projeto da nova política e da mudança”, afirmou Marcel Van Hattem.

Assim que o anúncio de que o deputado do Novo seria candidato à presidência da Câmara, o MBL passou a ter dois candidatos, o que poderia trazer força ao movimento, mas ao mesmo tempo dividir votos dos parlamentares, dando força a outros concorrentes ao posto. Com a desistência de Kim Kataguiri , a tendência é que os apoiadores da organização votem em van Hattem.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas