Tamanho do texto

Novo porta-voz da Presidência da República era um dos principais assessores do então comandante do Exército, general Eduardo Dias da Costa Villas Bôas

Novo porta-voz da Presidência da República será responsável por fazer a interlocução entre o governo e a impressa
Divulgação
Novo porta-voz da Presidência da República será responsável por fazer a interlocução entre o governo e a impressa

O general Otávio Santana do Rêgo Barros foi escolhido pelo presidente Jair Bolsonaro para porta-voz da Presidência da República. A informação foi confirmada nesta segunda-feira (14) pela Secretaria de Governo. Até a escolha de Bolsonaro, o general era o chefe do Centro de Comunicação Social do Exército, cargo que ocupava desde 2014.

Leia também: Bolsonaro anuncia deputado em primeiro mandato como líder do governo na Câmara

O novo porta-voz da Presidência da República será responsável por fazer a interlocução entre o governo e a impressa. O general era um dos principais assessores do então comandante do Exército, general Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, que deixou o posto na semana passada e vai integrar a equipe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), a convite do presidente.

Rêgo Barros foi assessor da extinta Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE), onde participou da organização do livro Desafios Estratégicos para a Segurança e Defesa Cibernética. Atuou na Cooperação Militar Brasileira no Paraguai e na Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti.

Leia também: Decreto sobre posse de armas será divulgado na terça-feira, informa Casa Civil

Entre as missões como oficial general , Rêgo Barros comandou a força de pacificação nos complexos do Alemão e da Penha, no Rio de Janeiro, e a segurança da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20.

Leia também: Bolsonaro concordou em manter país no Acordo de Paris, diz ministro

Natural de Recife, o porta-voz da Presidência tem 58 anos e ingressou na carreira militar em 1975, como aluno da Escola Preparatória de Cadetes do Exército. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas