Tamanho do texto

Atual presidente da Câmara negociava apoio com partidos de esquerda; Marcelo Freixo lançou sua candidatura em oposição ao parlamentar do DEM

Gleisi Hoffmann criticou o presidente Jair Bolsonaro sobre o acordo do PSL com Rodrigo Maia
Paulo Pinto/AGPT - 21.10.17
Gleisi Hoffmann criticou o presidente Jair Bolsonaro sobre o acordo do PSL com Rodrigo Maia

Após o PSL declarar apoio a reeleição de Rodrigo Maia (DEM-RJ) para a presidência da Câmara, a presidente do PT, Gleisi Hoffmann (PT-PR) defendeu que os partidos de esquerda formem um bloco e lancem uma candidatura de oposição. Segundo Gleisi, a direção do PT vai procurar siglas como PC do B, PSB, PDT, além do PSOL.

O PT na Câmara vinha negociando apoio a Rodrigo Maia, com a promessa de ter espaço na Mesa Diretora da Casa, no entanto, com o apoio do PSL, os petistas desistiram de um acordo. "Impossibilita. Inviabiliza. O PT não vai participar de um processo com o PSL para formar um bloco pró-governo", declarou ao blog da Julia Duailibi, do G1 .

No Twitter, Gleisi criticou o presidente Jair Bolsonaro sobre o acordo do PSL com Maia. "Não durou 24 horas o discurso de Bolsonaro de rompimento com a velha política. Hoje foi selado pelo PSL um acordão, envolvendo cargos, com os partidos políticos que ele tanto criticou", escreveu.


Na manhã desta quinta-feira (3), o deputado federal Marcelo Freixo (PSOL) anunciou sua candidatura para a presidência da Casa. Em sua conta no Twitter, Freixo disse que vai trabalhar para fortalecer e ampliar os direitos sociais e que enfrentará a "agenda de Bolsonaro" e Maia, que "aprofundará ainda mais as desigualdades no País".

Até ontem, Maia contava com o apoio dos partidos de esquerda, mas o apoio do partido de Bolsonaro à ele fez com que parte dos parlamentares mudasse de ideia e articulasse a candidatura de Freixo. Ao todo, o Psol, PT, PCdoB e PDT, que formam a oposição, elegeram 103 deputados.

Leia também: PSL confirma pré-candidatura de Major Olimpio à Presidência do Senado

Em troca do apoio do PSL, o atual presidente da Câmara prometeu que dará a presidência da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e a segunda vice-presidência da Câmara ao partido. " Rodrigo Maia se comprometeu a apoiar as pautas do governo Bolsonaro. O PSL vai ganhar o espaço que merece devido ao tamanho de sua bancada" disse Luciano Bivar, presidente da sigla.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.