Tamanho do texto

Mantendo o discurso de que a "bandeira nunca será vermelha", presidente pediu a troca d ecadeiras em sua residência oficial nos próximos quatro anos

Cadeiras vermelhas vão ser trocadas por azuis no Palácio da Alvorada após pedido de Jair Bolsonaro
Reprodução/Planalto
Cadeiras vermelhas vão ser trocadas por azuis no Palácio da Alvorada após pedido de Jair Bolsonaro


Jair Bolsonaro se muda para o Palácio da Alvorada nesta quinta-feira (3) junto de sua esposa, Michelle, sua filha Laura e sua enteada Letícia. No seu primeiro pedido para a mudança, o presidente pediu para que todas as cadeiras vermelhas fossem retiradas e substituídas por azuis. A troca já foi realizada e, segundo o jornal O Glob o, durou cerca de 40 minutos.

Leia também: Jair Bolsonaro reúne ministros e pede enxugamento da máquina pública

A troca das cadeiras é mais uma atitude do novo presidente ao associar o vermelho com o socialismo. No seu discurso no parlatório do Planalto, em sua cerimônia de posse, Jair Bolsonaro afirmou que “nossa bandeira jamais será vermelha”.

Bolsonaro se muda para o Alvorada nesta quinta-feira. Durante a semana, o presidente ficou com a família na Granja do Torto , também em Brasília, e uma das residências oficiais do chefe da nação brasileira.

Leia também: Em carta a Bolsonaro, presidente da China fala em "respeito mútuo"

Durante sua estadia na Granja do Torto, o presidente contou com as visitas dos filhos Flávio, Eduardo, Carlos e Jair Renan, além de sua mãe, Olinda, que vieram para acompanhar a cerimônia de posse.

Desde o início do mês, a primeira-dama Michelle Bolsonaro conheceu as instalações do Palácio do Alvorada e inclusive foi guiada pela ex-primeira-dama Marcela Temer.

Jair Bolsonaro liga cor vermelha ao PT

Jair Bolsonaro agita bandeira durante seu discurso como presidente
Marcelo Casal Jr/Agencia Brasil
Jair Bolsonaro agita bandeira durante seu discurso como presidente


Ao assumir a presidência do Brasil, Bolsonaro disse que o País se “libertava do socialismo” e ligou a cor vermelha ao PT. No seu discurso, o novo presidente chegou a retirar uma bandeira do bolso, mostrou para o público e disse que “esta é a nossa bandeira, que jamais será vermelha", dirigindo-se aos presentes.  "Só será vermelha se for preciso o nosso sangue para mantê-la verde e amarela", emendou.

No mesmo discurso, Jair Bolsonaro disse que o Brasil saía do politicamente correto e da corrupção, temas, que, segundo ele, prejudicaram o País durante todo o período em que o PT esteve no poder.