Tamanho do texto

"Que tudo seja normalizado brevemente no caso deste terrorista assassino defendido pelos companheiros de ideais brasileiros", escreveu o brasileiro

Presidente eleito, Jair Bolsonaro garantiu, mais uma vez, que Battisti será extraditado em 2019, caso isso não ocorra antes
Reprodução/Twitter
Presidente eleito, Jair Bolsonaro garantiu, mais uma vez, que Battisti será extraditado em 2019, caso isso não ocorra antes

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), trocou mensagens em uma rede social, na manhã desta sexta-feira (14), com o vice primeiro-ministro da Itália e também ministro do Interior do país, Matteo Salvini, a respeito da possível extradição de Cesare Battisti . De acordo com o futuro presidente da República, a Itália pode contar com ele na resolução do caso do ex-ativista italiano.

"Que tudo seja normalizado brevemente no caso deste terrorista assassino defendido pelos companheiros de ideais brasileiros! Conte conosco!", escreveu Jair Bolsonaro , sobre Cesare Battisti. Condenado à prisão perpétua por quatro homicídios no seu país, Battisti está no brasil há 14 anos e vive hoje no litoral de São Paulo.

A declaração de Bolsonaro é uma resposta a uma outra publicação também feita no Twitter, dessa vez pelo próprio ministro italiano. Assim que soube da decisão de Luiz Fux sobre o ex-ativista, Salvini publicou uma mensagem pedindo que Bolsonaro garantisse a extradição de Battisti

Leia também: Battisti pode ser preso a qualquer momento, mas seu paradeiro é desconhecido

"Uma prisão perpétua cumprida curtindo a vida, nas praias do Brasil, diante das vítimas, me deixa irritado! Darei grande mérito ao presidente Jair Bolsonaro se ajudar a Itália a fazer justiça, 'presenteando' Battisti com um futuro na prisão da pátria", publicou Salvini, nesta manhã.

Antes dele, o ministro da Justiça da Itália, Alfonso Bonafede, também havia comentado a determinação nas redes sociais. "Foram escutados os nossos pedidos. O Ministério da Justiça está trabalhando há tempos para isso, mas ficaremos satisfeitos apenas quando Battisti for extraditado para a Itália", disse Bonafede, também pelo Twitter.

Na noite desta quinta-feira (13), o ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), mandou prender Cesare Battisti . A determinação é para que o ex-ativista italiano fique na cadeia até que o presidente da República – o atual, Michel Temer, ou o futuro, quando tomar posse – decida pela extradição ao seu país. 

Leia também: Após eleição de Bolsonaro, Battisti diz acreditar nas instituições brasileiras

Ainda durante a sua campanha presidencial, Jair Bolsonaro já havia declarado que, assim que assumisse a presidência, iria extraditá-lo. "Reafirmo aqui meu compromisso de extraditar o terrorista Battisti, amado pela esquerda brasileira, imediatamente em caso de vitória nas eleições", escreveu ele na época. "Mostraremos ao mundo nosso total repúdio e empenho no combate ao terrorismo. O Brasil merece respeito”, declarou.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.