Tamanho do texto

Coronel Nivaldo Restivo deve chefiar secretaria responsável pela gestão de 171 unidades prisionais no Estado; situação de cúpula do PCC é prioridade

Coronel Nivaldo Restivo atualmente é o comandante da Tropa de Choque da PM
Divulgação/PMSP
Coronel Nivaldo Restivo atualmente é o comandante da Tropa de Choque da PM

O governador eleito em São Paulo, João Doria (PSDB), deve anunciar nos próximos dias o nome do coronel Nivaldo Restivo, ex-comandante-geral da Polícia Militar , como futuro secretário da Administração Penitenciária do Estado.

Atual chefe de gabinete do secretário Estadual da Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa Filho, o coronel Nivaldo Restivo tem no currículo trabalhos prestados no comando dos Batalhões de Choque, da ROTA (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar), do COE (Comandos e Operações Especiais), do GATE (Grupo de Ações Táticas Especiais), do Policiamento de Área da Zona Sul de São Paulo e do Policiamento de Trânsito. 

Confira aqui entrevista exclusiva com o coronel Nivaldo Restivo

À frente da Administração Penitenciária , o militar será o responsável pela direção de 171 unidades prisionais em todo o Estado, que abrigam atualmente mais de 213 mil homens e mais de 12 mil mulheres. 

A pasta que hoje é gerida por Lourival Gomes ganhou ainda mais importância ao longo deste ano devido às iniciativas para a transferência de integrantes da dita 'cúpula' do PCC para presídios fora do Estado de São Paulo.

A convocação do militar para o time de Doria corrobora com a postura prometida pelo tucano em ser "implacável" contra o crime organizado . Antes do coronel Restivo, já haviam sido anunciados com esse propóstio nomes como o do novo secretário executivo da Polícia Civil, delegado Youssef Abou Chahin, e do delegado-geral da Polícia Civil, Ruy Ferraz Fontes.

"Seremos implacáveis em relação às facções criminosas. Seja PCC ou qualquer outra. A orientação à   Polícia Militar  e Polícia Civil será de combate ao nível máximo de todas as operações de facções criminosas no Estado de São Paulo. Em todos os âmbitos, em todas as características. E o aprisionamento de todos que representam facções criminosas em São Paulo. Do 'pequinininho' ao maior traficante", prometeu Doria na semana passada. 

O vice-governador e coordenador da equipe de transição, Rodrigo Garcia (DEM),  explicou na manhã desta sexta-feira (7)  que os nomes chamados para integrar a equipe do futuro governo foram selecionados com base em uma série de critérios.

"Todos os convites feitos até agora estão levando em conta capacidade técnica, de trabalho, a experiência e o espírito público dos nossos indicados. O governador é quem tem concentrado todas essas indicações. Eu não consigo adiantar quem é que está sendo convidado", afirmou.

A informação do convite ao coronel Nivaldo Restivo foi divulgada inicialmente pelo jornal Folha de S.Paulo e ainda não houve anúncio oficial por parte da equipe de Doria.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.