Tamanho do texto

Reuniões dão continuidade aos encontros partidários do presidente eleito com parlamentares; seguem vagos cargos no 1º e no 2º escalões do governo

Jair Bolsonaro (PSL), está em Brasília para concluir composição ministerial e fazer articulação política com parlamentares
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
Jair Bolsonaro (PSL), está em Brasília para concluir composição ministerial e fazer articulação política com parlamentares

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, vai passar, nesta quarta-feira (5), por mais uma rodada de reuniões com bancadas partidárias. Os encontros marcam as primeiras ações de Bolsonaro em relação à sua articulação política com parlamentares. Para hoje, estão marcadas reuniões com os parlamentares do PSDB e do PR. 

Leia também: TSE aprova contas da campanha de Bolsonaro e adia decisão sobre ação petista

Por enquanto, Jair Bolsonaro já avisou que o apoio no Congresso Nacional virá a partir da identidade em torno de propostas sem "alinhamento automático". Essas conversas acontecem também em um momento de interesse político. Afinal, segue em aberto cargos no primeiro e também no segundo escalão do governo Bolsonaro.

Não há, por exemplo, nenhum nome confirmado para o futuro titular do Ministério do Meio Ambiente. Além disso, nesta terça-feira (4), o próprio Bolsonaro informou que nomeará um porta-voz para a Presidência da República, mas não disse que assumiria o cargo.

Também ontem, o presidente eleito se reuniu com as bancadas do MDB e do PRB, as primeiras partidárias com as quais conversou. Antes disso, Bolsonaro vinha se aliando a bancadas temáticas e não àquelas relacionadas a partidos específicos.

Leia também: Após encontro com Bolsonaro, líder do MDB diz que partido não fará indicações

No encontro de ontem, Bolsonaro  reiterou que pretende buscar pelo “entendimento” e disse que a “fórmula” usada até agora na relação entre governo e Congresso é fracassada. Além disso, admitiu que pode não saber a “fórmula do sucesso”, mas tem consciência que a aplicada até o momento não é a correta.

Segundo o presidente eleito, os ministérios ficarão à disposição dos parlamentares para o atendimento das suas demandas. Ele também defendeu rápida liberação de emendas parlamentares e garantiu que não fará "jogo de empurra" para prejudicar deputados.

O presidente eleito prometeu ainda fazer reuniões prévias com senadores e deputados federais antes de enviar propostas ao Congresso Nacional. Segundo ele, isso seria uma inovação na relação entre governo e Parlamento.

Leia também: "Onyx tem minha confiança pessoal", diz Moro após Fachin abrir investigação

Além dos encontros com as bancadas partidárias, a agenda de Jair Bolsonaro é composta ainda por uma visita ao Quartel General do Exército e outras reuniões com embaixadores estrangeiros que atuam no País.

* Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.