Tamanho do texto

Presidente eleito se reuniu com bancadas partidárias nesta terça-feira; Baleia Rossi disse que partido não fará "oposição por oposição"

Baleia Rossi disse que o partido vai votar com responsabilidade e não fará
Valter Campanato/Agência Brasil
Baleia Rossi disse que o partido vai votar com responsabilidade e não fará "oposição por oposição"

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) recebeu nesta terça-feira (4) a bancada de parlamentares do MDB na Câmara do Deputados e pediu apoio para aprovar reformas no Congresso Nacional. Segundo o líder do MDB na Câmara, deputado Baleia Rossi (SP), o partido terá responsabilidade e “votará aquilo que é importante para a recuperação econômica do país”.

“Fazer oposição por oposição pode ser ruim para o País. Vamos ajudar votando medidas importantes”, ressaltou Baleia Rossi . A reunião de Bolsonaro com a bancada ocorreu no Centro de Cultura Banco do Brasil (CCBB), sede do governo de transição, em Brasília.

Durante a entrevista, Baleia elogiou a postura de Bolsonaro ao dialogar com as bancadas temáticas, e não com partidos. “Ele agiu corretamente ao dialogar com as frentes parlamentares porque foi um compromisso de campanha. Imagina se já na transição de governo ele descumprisse uma promessa de campanha?", comentou.

Para o deputado reeleito, a política passa por um novo momento e que é preciso se adaptar. “O MDB não reivindicou cargos e não indicou ninguém”, frisou. Ele também negou que tenha sido discutida a sucessão da presidência da Câmara.

Baleia também celebrou o fato de um emedebista, o deputado Osmar Terra, ter sido escolhido como ministro da Cidadania, mas alegou que não foi uma escolha política, e sim da bancada social. “Osmar Terra teve apoio da bancada do MDB, mas não foi indicação nossa.”

Leia também: MDB diz ter "direito" sobre escolha para a presidência do Senado

Na reunião, que durou cerca de 50 minutos, o presidente eleito elogiou a reforma trabalhista aprovada em 2016 pelo governo de Michel Temer e ainda defendeu um aprofundamento da medida como forma de "desengessar" as relações de trabalho e destravar investimentos no país, sem entrar em detalhes sobre as alterações que ainda poderiam ser realizadas. Bolsonaro afirmou que Paulo Guedes, futuro ministro da Economia, não conseguirá sozinho aprovar as medidas necessárias para retomar o crescimento da economia e a geração de empregos.

"Ele disse que espera o apoio do MDB no que for possível. Se não for da bancada, o apoio individual", contou o deputado Freire Júnior (MDB-TO). Apesar de falar em reformas, Bolsonaro não chegou a mencionar de forma específica a reforma da previdência, considerada pelo mercado a medida prioritária do próximo governo. O tema, no entanto, foi levantado na reunião pelo deputado Darcísio Perondi (MDB-RS).

Leia também: TSE julga nesta terça-feira prestação de contas da campanha de Bolsonaro

Baleia Rossi também lembrou que o partido declarou-se independente em relação ao futuro governo, mas que terá responsabilidade com os assuntos importantes para o país. "O MDB vai discutir agenda. O MDB já se declarou independente, mas a bancada vai discutir ponto a ponto. O partido terá responsabilidade", garantiu. 

 * Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.