Tamanho do texto

Damares Alves é advogada e pastora e trabalha como assessora de Magno Malta no Senado; nome agrada bancada evangélica e equipe de governo

Damares Alves, asessora de Magno Malta, pode assumir o Ministério dos Direitos Humanos, da Família e dos Direitos da Mulher
Reprodução
Damares Alves, asessora de Magno Malta, pode assumir o Ministério dos Direitos Humanos, da Família e dos Direitos da Mulher


Um dia após confirmar que  Magno Malta não terá cargo de ministro no início do seu governo, o presidente eleito Jair Bolsonaro disse que a advogada Damares Alves tem grandes chances de assumir o Ministério dos Direitos Humanos, Família e Direitos da Mulher. A profissional é assessora do senador do Espírito Santo e tem boa relação com a bancada evangélica do Congresso.

“Não foi prometido nada para a Damares Alves , mas seria do meu entender uma pessoa extremamente qualificada para desempenhar a função”, afirmou Bolsonaro.

O presidente eleito participa neste sábado (01) de uma formatura de cadetes aspirantes a oficiais do Exército na Academia dos Agulhas Negras (Aman) em Resende, cidade em que atuou no período em que foi militar.

Damares Alves agrada a bancada evangélica, que também gostaria de ter indicado o ministro da Cidadania. Diante de tantas controvérsias entre os nomes apresentados, Jair Bolsonaro confirmou o deputado Osmar Terra (MDB) na past a, nome que agradou por ter boa relação com a bancada na Câmara, mas que não atua exatamente pelas causas da bancada.

Assim como Magno Malta, Damares Alves é pastora evangélica e o fato de ser mulher, agrada o presidente, que não vê motivos em colocar um homem para chefiar uma pasta que cuidará dos direitos da mulher.

Damares Alves pode ser ministra, Magno Malta não

Magno Malta e Jair Bolsonaro em reunião durante campanha; Damares Alves é assessora do senador
Reprodução/Facebook/Jair Bolsonaro
Magno Malta e Jair Bolsonaro em reunião durante campanha; Damares Alves é assessora do senador


Na última sexta-feira (30), Jair Bolsonaro colocou um fim nas especulações de que o senador Magno Malta poderia assumir um cargo de ministro em seu governo. Evitando polêmicas, o presidente eleito disse que conta com o apoio do político, mas não em ministério.

“Ele [Magno Malta] sabe que tem o meu respeito. Ele não vai ficar abandonado, mas, por outro lado, ele tem como participar do governo em outra função, fora de um ministério”, disse o capitão reformado.

Caso Damares Alves seja anunciada como ministra dos Direitos Humanos, da Família e dos Direitos da Mulher, restará apenas o Ministério do Meio Ambiente ser preenchido. Jair Bolsonaro cogitou unir a pasta com a Agricultura, mas uma forte pressão tanto de ambientalista como de empresários do agronegócio fez com que o presidente eleito mudasse de ideia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.