Tamanho do texto

Reajuste vale também para a procuradora-geral da República, Raquel Dodge; tal decisão provoca efeito cascata sobre os funcionários do Poder Judiciário

Michel Temer sancionou, nesta segunda-feira, o reajuste dos ministros do STF e da procuradora-geral da República
Alan Santos/PR - 28.5.18
Michel Temer sancionou, nesta segunda-feira, o reajuste dos ministros do STF e da procuradora-geral da República

A decisão do presidente Michal Temer de sancionar o  reajuste dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) foi publicada, nesta terça-feira (27), no Diário Oficial da União. Além dos ministros do STF, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, também será beneficiada.

Os decretos alteram o subsídio dos 11  ministros do STF e da atual chefe do Ministério Público Federal, de R$ 33.780,00 para R$ 39.293,32. Esse aumento foi sancionado pelo presidente da República na noite desta segunda-feira (26). 

O benefício foi garantido depois que a Suprema Corte cumpriu um acordo com Temer, que  condicionava a concessão do aumento do salário ao fim do auxílio-moradia a juízes de todo o País. 

Leia também: Roberto Jefferson, ex-ministro e outros 18 viram réus por organização criminosa

De acordo com a publicação feita no Diário Oficial hoje, esse reajuste já passa a valer imediatamente. 

Efeito cascata causado pelo aumento do salário dos ministros do STF

Ministros do STF, em sessão plenária deste ano, quando a ministra Cármen Lúcia ainda comandava a Suprema Corte
Carlos Moura/SCO/STF - 18.4.18
Ministros do STF, em sessão plenária deste ano, quando a ministra Cármen Lúcia ainda comandava a Suprema Corte

Com a concessão do reajuste, Michel Temer está também criando um efeito cascata sobre os funcionários do Judiciário, abrindo caminho ainda para um possível aumento dos vencimentos dos parlamentares e do próprio presidente da República. Afinal, os ganhos são proporcionais.

Para tentar minimizar os impactos causados pelo reajuste – e para manter o acordo feito com Temer – o ministro Luiz Fux , do STF, revogou, também nesta segunda-feira, a liminar relativa ao pagamento do auxílio-moradia aos ministros. 

Interlocutores do Planalto lembram, porém, que a proposta de reajuste foi feita pelo próprio Supremo em 2016, e aprovada pelo Poder Legislativo.

A norma que autoriza os reajustes está publicada na página 1 da seção 1 do Diário Oficial e é assinada por Temer, os ministros da Justiça, Torquato Jardim, e o da Casa Civil, Eliseu Padilha, além da advogada-geral da União, Grace Mendonça.

Leia também: Fux revoga auxílio-moradia de juízes e reduz impacto de reajuste no Judiciário

Além do aumento para os ministro do STF , outro texto está publicado também na seção 1, do Diário Oficial da União, página 2 e trata do reajuste para a procuradora-geral da República, Raquel Dodge. Temer, Torquato, Padilha e Grace Mendonça também assinam a medida.

* Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.