Tamanho do texto

Atual diretor de articulação e inovação do Instituto Ayrton Senna, educador Mozart Neves é uma indicação de Viviane Senna e chegou a conversar com Onyx Lorenzoni, mas Bolsonaro não confirma qualquer escolha para a pasta

Mozart Neves, diretor do Instituto Ayrton Senna, é o favorito a assumir o ministério da Educação
Mozart Neves Ramos/Divulgação
Mozart Neves, diretor do Instituto Ayrton Senna, é o favorito a assumir o ministério da Educação


Atual diretor de articulação e inovação do Instituto Ayrton Senna, Mozart Neves é o favorito a ser o ministro da Educação a partir de 2019, como informa a Folha de São Paulo . O nome do ex-secretário de Educação de Pernambuco agrada o presidente eleito Jair Bolsonaro, que pode anunciá-lo ainda nesta quarta-feira (21). O educador é muito próximo de Viviane Senna, fundadora do instituto que leva o nome do irmão e que era a mais cotada para a pasta.

Com 63 anos, Mozart Neves já possui experiência em gestão na área de educação. Além de secretário da pasta em Pernambuco (de 2003 a 2006), foi reitor da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco) e presidente executivo da organização Todos pela Educação.

Jair Bolsonaro, entretanto, ainda não confirma a indicação. Por meio de seu twitter, o presidente eleito informou que não há qualquer nome escolhido para o Ministério da Educação.

Leia também: Gustavo Bebbiano é escolhido como miistro da Secretaria de Governo

Escritor da área educacional, já publicou três livros e em 2008 foi eleito pela Revista Época como uma das 100 pessoas mais influentes do Brasil. Amigo pessoal de Mendonça Filho (ministro da Educação nos primeiros anos do governo Temer), foi cotado para o ministério assim que o político do DEM largou o cargo para ser candidato ao Senado em 2018, mas acabou não sendo escolhido.

A ideia inicial da equipe de Jair Bolsonaro era convidar Viviane Senna para a pasta da Educação, mas após conversa com a presidente do Instituto Airton Senna, ficou decidido que a melhor opção é Mozart Neves.

O próximo ministro da Educação terá que enfrentar, logo de imediato, discussões a respeito da Escola Sem Partido . O projeto, que tramita nas comissões da Câmara dos Deputados, prevê que os professores sejam proibidos de fazerem qualquer doutrinação ideológica aos alunos na escola, ou seja, não transmitam opiniões políticas ou religiosas a respeito do assunto a ser estudado.

Instituto Ayrton Senna nega convite de Jair Bolsonaro a Mozart Neves

Mozart Neves chegou a ser cotado para o Ministério da Educação no governo Temer
Ricardo Matsukawa/Instituto Ayrton Senna
Mozart Neves chegou a ser cotado para o Ministério da Educação no governo Temer


Em nota, o Instituto Ayrton Senna esclareceu que Mozart Neves ainda não recebeu qualquer convite da equipe de Jair Bolsonaro, mas esclareceu que houve uma reunião com Onyx Lorenzoni, ministro extraordinário da transição, e que uma nova conversa com a presença do presidente eleito vai acontecer.

“Amanhã pela manhã (22), Mozart participará de mais uma reunião técnica em Brasília, agora com o presidente eleito Jair Bolsonaro, para dar continuidade à conversa com Onyx Lorenzoni na semana passada, na qual foram apresentados um diagnóstico e caminhos de melhoria para a educação brasileira”, explicou o instituto em nota.

Leia também: Ministro da Educação diz que Brasil não precisa do Escola sem Partido

A escolha de Mozart Neves tem forte influência da deputada federal eleita por São Paulo Joyce Hasselmann, que foi quem apresentou Viviane Senna a Jair Bolsonaro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.