Tamanho do texto

"Na democracia existe só um norte, o da nossa Constituição", disse ele, em um discurso improvisado, reforçando seu compromisso com a lei brasileira

Declaração do presidente eleito Jair Bolsonaro sobre a Constituição durou menos de dois minutos, nesta terça
Reprodução/TV Globo
Declaração do presidente eleito Jair Bolsonaro sobre a Constituição durou menos de dois minutos, nesta terça

O presidente eleito Jair Bolsonaro tomou a palavra pela primeira vez, depois de ter vencido as eleições de 2018, no Congresso Nacional na manhã desta terça-feira (6). Sua declaração foi feita durante uma sessão solene, em que ele, junto a outras autoridades brasileiras, celebravam os 30 anos da Constituição Federal. A fala de Bolsonaro sobre a Constituição foi de respeito às leis que regem o País. 

Leia também: Bolsonaro e Temer participam de sessão em homenagem aos 30 anos da Constituição

"Na democracia existe só um norte, o da nossa Constituição", disse o presidente eleito. A fala de Bolsonaro sobre a Constituição  foi improvisada e durou menos de dois minutos, nos quais ele reforçou o seu compromisso com a democracia e com o respeito à Constituição. "A responsabilidade é de todos nós, pedimos a Deus que nos ilumine", afirmou. 

A declaração de Bolsonaro foi dada depois que o presidente do Congresso, o senador Eunício Oliveira (MDB), perguntou, em meio à sessão, se Bolsonaro gostaria de participar da cerimônia, tomando a palavra. Quando perguntou ao presidente eleito , Eunício pediu licença ao presidente em exercício, Michel Temer, para que fizesse o convite a Bolsonaro. 

Ao fazer referência ao futuro governo, Bolsonaro afirmou que o Brasil “tem tudo para ser uma grande nação”. “Vamos continuar construindo o Brasil que nosso povo merece”, disse. "Acredito em Deus, acredito no povo brasileiro. A felicidade e o Brasil acima de tudo e Deus acima de todos, obrigado", encerrou. 

Leia também: Moro afirma que jamais disputará eleição e que ainda não se vê como político

Logo após sua fala, Jair Bolsonaro deixou o evento, que acontecia na Câmara dos Deputados, e seguiu no cumprimento da sua extensa agenda em Brasília. O presidente eleito deve almoçar com o ministro Defesa, Joaquim Silva e Luna, depois tem reuniões com os comandantes da Marinha, almirante Eduardo Bacellar Leal Ferreira, e do Exército, general Eduardo Villas Bôas.

Para amanhã (7) está programado um café da manhã com o comandante da Aeronáutica, o brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato. Haverá ainda um encontro com os presidentes do STF, Dias Toffoli, e do Superior Tribunal de Justiça (STJ), João Otávio de Noronha. E, às 16h, Bolsonaro deve se encontrar com Temer.

Apesar da agenda cheia , a fala de Bolsonaro sobre a Constituição , nesta terça-feira, não estava prevista no roteiro da sessão solene de hoje. O plano era que o presidente eleito apenas estivesse compondo a mesa diretora da cerimônia.

* Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.