Tamanho do texto

De acordo com Carlos Augusto Montenegro, apenas um "tsunami" poderia tirar do candidato do PSL a vitória no pleito do próximo domingo (28)

O presidente do Ibope , Carlos Augusto Montenegro afirmou que o cenário hoje aponta para uma vitória do candidato Jair Bolsonaro (PSL) na disputa contra Fernando Haddad (PT) no próximo domingo (28). A declaração foi dada durante entrevista ao Estadão.

Leia também: Apoio de deputados do PSL a Márcio França gera atrito na campanha de Bolsonaro

Bolsonaro deve ser o presidente, diz o presidente do Ibope
iG
Bolsonaro deve ser o presidente, diz o presidente do Ibope

Ainda de acordo com o presidente do Ibope, apenas um "tsunami" poderia fazer Bolsonaro não ser eleito presidente da República. " A grande dúvida, como não haverá debate na TV e os fatos são esses que estão acontecendo, é qual vai ser a diferença", disse.

Na última pesquisa Ibope contratada pela TV Globo e pelo Estado de S. Paulo, divulgada na última terça-feira (22), o candidato do PSL apareceu com 57% das intenções de voto contra o 43% do petista, quando considerados apenas os votos válidos.

Para Montenegro, a vantagem do vencedor vai seguir de acordo com os votos do eleitores indecisos e das abstenções. No levantamento divulgado pelo instituto no último dia 23,3% dos eleitores se dizem indecisos ou não responderam ao questionamento sobre intenção de voto.

Leia também: Defesa de Bolsonaro nega caixa dois e diz que ação do PT visa "caos eleitoral"

Para Haddad , as abstenções no Nordeste, região que tem mais simpatia pelo petista, podem representar um impacto. Segundo Montenegro, como a eleição foi decidida logo na primeira etapa em sete Estados nordestinos, parte do eleitorado pode ficar desmotivada à ir às urnas por não haver um candidato ao governo estadual que puxe votos.

O cenário de reversão é muito difícil de acontecer já que a convicção de votos do eleitorado de Bolsonaro e de Haddad afastam a possibilidade de mudança.

Na pesquisa de terça-feira, 58% das pessoas que declaram voto no candidato do PSL e 58% daqueles que têm intenção de votar no petista dizem que a decisão é definitiva.

Leia também: A três dias da eleição, Bolsonaro recebe aliados e Haddad vai a atos no Nordeste

" A certeza de votos dos dois candidatos é muito grande. Só um 'tsunami' poderia fazer um eleitor do Haddad mudar o voto para Bolsonaro e vice-versa. Há uma guerra desde o início entre o anti-PT e o PT", finaliza o presidente do Ibope.