Tamanho do texto

Maioria dos eleitores de Jair Bolsonaro (PSL) - 25% - vota no capitão reformado do Exército por rejeição ao PT; 20% dos que votam em Fernando Haddad (PT) o fazem para evitar a vitória do adversário de direita

Rejeição à Haddad ou Bolsonaro é o principal condicionante de votos no segundo turno, aponta Datafolha
iG Arte
Rejeição à Haddad ou Bolsonaro é o principal condicionante de votos no segundo turno, aponta Datafolha

Detalhes da pesquisa do instituto Datafolha, divulgados neste sábado (20), apontam que o plano de governo, onde os candidatos esmiúçam suas propostas para o país, orienta o voto de apenas uma minoria dos eleitores. Outras motivações, como rejeição à partidos ou os valores associados aos presidenciáveis, são preponderantes na escolha do voto.

Leia também: PF abre inquérito para investigar fake news contra candidatos no WhatsApp

No caso dos eleitores de Fernando Haddad (PT), apenas 15% decidiu pelo candidato em razão de seu programa de governo. Entre os que pretendem sufragar Jair Bolsonaro (PSL), o número auferido pelo Datafolha é um pouco mais baixo, 12%.

Os candidatos são obrigados pela Justiça a apresentar seus planos de governo ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Nele, devem constar visões e projetos sobre segurança, saúde, educação, economia, cultura e políticas sociais, entre outros temas.  

Acompanhe, abaixo, os principais elementos que orientam os eleitores na opção por Jair Bolsonaro :

Renovação ou alternância de poder (30%)
Rejeição ao PT (25%)
Propostas de segurança (17%)
Imagens e valores pessoais (13%)
Plano de governo (12%)
Combate à corrupção (10%)

E também as razões que levam ao voto em Fernando Haddad :

Rejeição a Bolsonaro (20%)
Plano de governo (15%)
Alinhamento ao partido (13%)
Experiência e capacidade de governar (11%)
Influência de Lula (11%)
Imagem e valores pessoais (7%)

Brasileiro quer debate, aponta Datafolha

Maioria dos eleitores quer debates, constata Datafolha
Reprodução/Facebook
Maioria dos eleitores quer debates, constata Datafolha

A mesma pesquisa aponta, ainda, que a presença de Jair Bolsonaro nos debates presidenciais antes do segundo turno das eleições 2018 é requisitada pela maioria dos brasileiros. De acordo com o instituto, 73% dos eleitores querem o capitão reformado nos debates. 

Leia também: Haddad vai ao Nordeste pela primeira vez no 2º turno e reforça cobranças ao TSE

Apesar do apelo do eleitorado, é improvável que o candidato frequente os debates . O presidenciável já declarou que não pretende debater com Fernando Haddad.

Bolsonaro afirmou, durante uma transmissão ao vivo nas redes sociais, que não participará de nenhum  debate político  e que não tem a intenção de fazer campanhas de rua, no chamado corpo a corpo.

Ainda de acordo com o Datafolha , 23%  dos brasileiros consideram que o presidenciável não deveria comparecer aos debates e, 4% não souberam responder à pergunta. Dos entrevistados, 67% disseram considerar os debates políticos como importantes para a decisão de voto, 13% disseram considerar “um pouco importante”, e 19% não levam os encontros em consideração na hora de escolher seus candidatos.

Leia também: TSE abre investigação contra Jair Bolsonaro por compra de mensagens anti-PT