Tamanho do texto

Ambos os candidatos ao Planalto estarão na mesma cidade nesta sexta, mas não devem se encontrar; presidenciável do PSL diz temer pela sua segurança

Bolsonaro e Haddad não devem se encontrar no Rio de Janeiro hoje e, provavelmente, em nenhum dia até o segundo turno
iG Arte
Bolsonaro e Haddad não devem se encontrar no Rio de Janeiro hoje e, provavelmente, em nenhum dia até o segundo turno

As agendas oficiais dos dois candidatos à Presidência da República, que disputam o segundo turno das eleições 2018, Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL), vão coincidir em parte do dia desta sexta-feira (19), quando o candidato do PT passará pelo Rio de Janeiro, onde mora o seu adversário. Bolsonaro e Haddad, no entanto, não devem se encontrar.

O petista tem agendada uma reunião com pesquisadores, professores e estudantes das áreas de ciência e engenharia. Bolsonaro, por sua vez, não pretende fazer campanha de rua, o chamado corpo a corpo, por questões de saúde. Não apenas hoje, mas Bolsonaro e Haddad não devem se encontrar até o segundo turno das eleições, por opção do candidato do PSL .

Nesta quinta-feira (18), Jair Bolsonaro afirmou, durante uma transmissão ao vivo nas redes sociais, que não pretende participar de nenhum debate político e nem tem a intenção de fazer campanhas de rua. Isso porque, segundo ele, teme pela própria segurança. O presidenciável passou ontem por uma  avaliação médica que o liberou para escolher em que participar.

O presidente nacional do PSL, Gustavo Bebiano, afirmou que Bolsonaro não vai participar de debates com Haddad, pois não tem obrigação de comparecer aos eventos promovidos por emissoras de televisão.

"Não vai se submeter a uma situação de alto estresse sem nenhum motivo, porque quem discute com poste é bêbado”, afirmou. Além disso, o presidente do PSL argumentou que a colostomia pode causar desconforto ao candidato.

Fernando Haddad participa hoje de uma reunião no Clube de Engenharia para o debate Democracia e soberania: Universidade, Ciência e Engenharia para o desenvolvimento brasileiro . O candidato tem cobrado a participação do adversário em debates nas emissoras. 

Leia também: PT pede que TSE investigue "caixa dois de Bolsonaro"; MP vai apurar o caso

A nove dias das eleições, a campanha eleitoral dos dois está mais acirrada e o foco agora é a disseminação de notícias falsas nas redes sociais e aplicativos. Enquanto Bolsonaro e Haddad  trocam acusações, seus partidos políticos recorrem à Justiça Eleitoral em busca de providências.

* Com informações da Agência Brasil.